Inovação disruptiva: o que é?

Na era da transformação digital, um assunto que vem se tornando cada vez mais presente nas empresas é a inovação disruptiva. O termo pode ser compreendido como a raiz dos grandes avanços que uma organização pode alcançar. Mas, afinal, você sabe exatamente o que significa inovar de forma disruptiva?

Entender a fundo esse conceito é crucial para quem quer conquistar espaço no mercado. Pensando nisso, criamos este conteúdo especial sobre o tema. Mostraremos em detalhes a definição de inovação disruptiva, os principais cases de sucesso e as melhores práticas para adotar esse processo em sua empresa. Confira!

O que é preciso para que uma inovação seja disruptiva?

No ambiente corporativo, o conceito de inovação se refere à capacidade de uma empresa de pensar e executar suas atividades de uma maneira diferente — com mais eficiência, menos custo, mais agilidade etc. Isso não significa exclusivamente criar um produto ou serviço. As mudanças podem ser operacionais, estratégicas ou mesmo na relação da marca com os seus clientes.

Entretanto, a inovação disruptiva envolve um grau ainda maior de mudança. Grosso modo, o conceito de disrupção significa causar um impacto naquele setor do mercado, de forma a quebrar um paradigma. Na prática, as organizações não podem simplesmente ignorar as mudanças no contexto em que estão inseridas — elas precisam se adaptar ao novo formato ou tendem a desaparecer.

Essa quebra de paradigma é a principal característica da inovação disruptiva. Ela não precisa ser um produto sofisticado e mais complexo que os anteriores — basta causar uma alteração no comportamento do consumidor para gerar um impacto em todo o mercado.

Com os avanços acelerados na tecnologia, isso representa um grande impulso para qualquer negócio. Afinal, a organização que inova de maneira disruptiva cria um diferencial frente à concorrência, atraindo o consumidor e tornando-se referência naquilo que faz.

Para ajudar você a ter uma ideia mais clara sobre como isso acontece em cada setor, destacamos abaixo os principais casos de inovação disruptiva dos últimos anos.

Quais são os grandes exemplos de inovação disruptiva?

As inovações disruptivas mudaram definitivamente o mercado de filmes, música, hospedagem, transporte e muitos outros. Por isso, nossos destaques vão para as principais empresas que promoveram essas revoluções!

Netflix

Com mais de 20 anos de existência, a Netflix começou com um propósito simples. Inconformado por ter de pagar uma multa por atraso na devolução de um filme à locadora, um dos seus fundadores decidiu criar um serviço online de filmes. No início, o usuário acessava um site e solicitava o filme. O que a Netflix fazia era enviar o DVD por correios.

Com a evolução da tecnologia, a empresa percebeu que havia um potencial disruptivo em seu serviço. Em poucos anos, a ideia se transformou no que chamamos hoje de streaming de filmes — além de séries e outros tipos de conteúdo. A partir de então, o mercado de televisão e do próprio cinema nunca mais foram os mesmos.

Nos últimos anos, outras gigantes como a HBO e Amazon já aderiram ao modelo e vêm sendo seguidas de nomes de peso, como a Disney. O impacto foi tão grande que até canais de esporte já estão inaugurando suas plataformas de streaming.

Não é preciso destacar, é claro, que a Netflix continua como grande referência desse mercado, investindo até mesmo em suas próprias produções e concorrendo a grandes prêmios.

Spotify

A ideia por trás do Spotify a maioria de nós já conhece: centralizar em uma única plataforma todas as músicas que uma pessoa pode querer ouvir. Se dispositivos como iPods ou mesmo smartphones com grande memória interna pareciam abocanhar esse mercado, a disponibilidade do Spotify fez com que a empresa dominasse o mercado. Tanto que os dispositivos de música simplesmente desapareceram.

Assim como no caso da Netflix, a solução do Spotify mostra como a inovação disruptiva está diretamente relacionada com a mudança comportamental do consumidor. Afinal, a questão deixa de ser quem oferece o melhor produto quando uma empresa simplesmente cria uma nova demanda no mercado.

Airbnb

Inicialmente focada no oferecimento de hospedagem em locais com grandes demandas e poucas vagas, a plataforma do Airbnb logo se tornou a principal alternativa para quem vai viajar. 

A inovação disruptiva aqui surgiu ao entender uma tendência da geração Millennial: a economia compartilhada. Nela, as pessoas não querem necessariamente um produto ou serviço exclusivo, mas qualidade, facilidade, segurança e preço acessível. Hoje, a maioria dos viajantes considera a plataforma como uma das principais opções para encontrar uma boa hospedagem.

Uber

Quando o assunto é inovação, a Uber não fica para trás. O que a empresa fez foi transformar um mercado de serviços, por meio da economia compartilhada, permitindo que os passageiros dividissem o mesmo transporte. Em pouco tempo, o conceito se tornou exemplo do uso de aplicativos móveis para mediar serviços — e o próprio trabalho.

Hoje, cada vez mais empresas adotam essa estratégia para oferecer algo inovador aos seus clientes. Dos aplicativos de entrega (delivery) ao aluguel de bicicletas, o modelo do Uber é replicado nos mais variados segmentos.

Como inovar de forma disruptiva?

O primeiro passo para inovar de forma disruptiva é identificar o papel que a sua empresa almeja assumir no mercado em que atua. Conhecer os interesses e necessidades dos seus clientes, bem como as tecnologias à disposição, são passos essenciais nesse processo.

Sua empresa pode, por exemplo, solucionar um problema — e, a partir disso, promover uma grande revolução no modo de consumir um produto ou serviço.

Outra opção é mudar o cenário competitivo, algo que geralmente ocorre por meio da implementação de uma cultura da inovação. Além disso, é preciso destacar a importância de refinar o modelo de negócio de acordo com os objetivos da empresa.

Um relacionamento mais próximo com o consumidor é uma marca registrada da Netflix e do próprio Spotify. A marca passa a ser referência de algo que ninguém mais oferece: uma experiência única.

Os benefícios da inovação disruptiva, como você pôde ver, são expressivos. Então, aplique nossas dicas em sua empresa e conquiste resultados cada vez melhores junto aos seus clientes!

E se quer aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto, veja também nosso artigo sobre as 6 principais tendências da transformação digital!

Junte-se a nós

Receba Em Seu E-mail Conteúdos Exclusivos

Inscreva-se em nossa newsletter e receba novidades sobre o Grupo Stefanini.