6 tendências de transformação digital: por que apostar nessas ideias?

18 de Junho de 2019 por Stefanini

As empresas estão cada dia mais conscientes da necessidade do desenvolvimento tecnológico em seu core business. É, no mínimo, interessante conhecer quais tecnologias serão tendências de transformação digital

Mais maduras e familiarizadas com a TI, as organizações estão indo devagar, mas com mais propriedade e foco. Como não se trata de nenhum segredo, a inovação está andando de mãos dadas com a transformação digital. Afinal, essas mudanças são muito mais do que a automação de processos ou digitalização de documentos.

Para que a transformação digital provoque realmente a diferença na área em que a sua empresa atua, é necessário ir além da mudança tecnológica e capturar a mudança de cultura, habilidades e processos com o intuito de forjar novos modelos de negócios, produtos ou serviços inovadores.

Estar sempre em dia com as tendências da transformação digital é fundamental, mesmo se sua empresa não atuar no ramo da tecnologia. Para ajudar você, trouxemos 6 ferramentas que vão aparecer bastante em 2019. Confira!

1. Uso de Chatbots

As tendências de desenvolvimento sugerem que os chatbots estarão preparados para corresponder ao comportamento humano e oferecer serviços semelhantes em breve. Sem muitas limitações, eles vão auxiliar em diversos setores, com o benefício da disponibilidade total — o que não acontece com o atendimento de um profissional, por exemplo.

Devido ao avanço significativo no Machine Learning (aprendizado de máquina) e na Inteligência Artificial (IA), os chatbots ganharam uma vantagem sobre os serviços convencionais em termos de sabedoria. Aplicado a empresas e indústrias, as funções serão desempenhadas de maneira mais eficiente. Serão capazes de:

  • interagir com as pessoas por meio de voz e áudio;
  • aumentar as vendas com o marketing digital;
  • possibilitar métricas de desempenho diferenciadas por setor;
  • garantir solução mais rápida de problemas.

Se um cliente precisar de esclarecimentos imediatos para suas consultas, poderá obtê-las por meio de dispositivos portáteis, como smartphones, tablets e smartwatches. Os chatbots estão sendo uma grande inovação e um dos maiores benefícios diretos é que os usuários não precisam ficar em espera de longas filas, sem saber quando um profissional atenderá seu chamado.

2. Nuvens múltiplas (multi-clouds)

Já que as empresas se acostumaram com uma forma mais digital de fazer negócios, muitas delas preferem operar em um cenário de TI mais diversificado, baseado em um ambiente totalmente integrado. Nesse cenário, a computação em nuvem surge como uma solução que proporciona a mobilidade e a escalabilidade de que essas organizações precisam.

Como a demanda é crescente e ter as informações disponíveis a todo momento é essencial, houve a necessidade de ampliar essa estratégia por meio da multi-cloud. Esse conceito de nuvens múltiplas nada mais é que diversos serviços sendo utilizados simultaneamente em nuvem.

À medida que as estratégias de multi-cloud se tornam mais intencionais, elas precisarão de um nível maior de planejamento para garantir que o desempenho, a confiabilidade, o orçamento e outras preocupações críticas de TI sejam atendidas.

3. Segurança das informações

Como parte das tendências de segurança cibernética para 2019, veremos que as empresas continuarão a usar os serviços de computação em nuvem. Isso inclui a aquisição de soluções de segurança que permitam que as organizações gerenciem e protejam seus ativos digitais de maneira mais dinâmica e eficaz.

Os serviços em nuvem criaram a necessidade de desenvolver novos sistemas de segurança que exigem mais requisitos de acesso. Embora durante muito tempo as redes privadas virtuais (as chamadas VPN ou Virtual Private Network) tenham sido a espinha dorsal do acesso remoto autenticado, a necessidade de evoluir e começar a usar o princípio da Confiança Zero surgiu.

Esse princípio solicita que o sistema armazene cada aplicativo em um contêiner, além de exigir autenticação separada para cada um deles. Tal abordagem permitirá que as organizações implementem estratégias de segurança cibernética mais adaptadas às demandas da nova era digital.

4. Proteção de dados

Os volumes de dados manipulados dentro da organização continuarão a crescer, o que levará as empresas a buscar soluções que garantam total visibilidade das informações que eles gerenciam e, consequentemente, de sua proteção. Novos regulamentos locais e internacionais também serão criados para legislar sobre como as empresas gerenciam os dados que recebem de seus clientes.

Para garantir o cumprimento dessas novas regras, veremos uma demanda crescente das organizações por soluções de gerenciamento de incidentes sustentáveis e orientadas por dados. A conformidade, por sua vez, será mais ampla e estrita.

A atenção à proteção de dados pessoais continuará a aumentar em 2019. Testemunharemos o crescimento das leis de segurança e privacidade de dados logo após o GDPR e a LGPD. As empresas brasileiras precisam ir mais rápido nesse assunto, já que a Lei Geral de Proteção aos Dados entra em vigor em 2020.

5. Internet das Coisas (IoT)

A IoT foi uma grande novidade tecnológica até poucos anos e está se consolidando de tal forma que muitas ideias ou desejos já estão integradas ao cotidiano. Como exemplo temos a casa inteligente, que possibilita ao proprietário controlar a luminosidade de um ambiente em um estalar de dedos. Há também hubs como a Alexa, da Amazon, que avisa quando comprar a ração do seu pet, informa o clima e as notícias, além de tocar sua playlist com alta qualidade de som.

O que se prevê agora? Além de valores de insumos menores e a popularização da IoT, tudo dependerá da criatividade das pessoas. Uma das ideias é integrar sensores em eletrodomésticos ou em serviços de TV a cabo, que vão alertar o Service Desk antes mesmo que o cliente comece a ligar!

6. Investimento em KPIs

Para permitir a transparência e dar à empresa uma noção do que ela precisa para alcançar os melhores resultados, os Indicadores Chave de Desempenho ou Keys Performance Indicators (KPIs) são grandes aliados. Isso porque eles fornecem as principais métricas sobre o desempenho das organizações.

Entretanto, muitos líderes estão descobrindo que existem mais informações do que nunca na ponta dos dedos, o que também pode criar confusão. Afinal, de que adianta ter acesso a tantos dados que a empresa não usa ou não pode consumir?

Existem diversas maneiras de obter os melhores KPIs, tomando como exemplo a adoção do Business Analytics (BA) —  uma metodologia que contempla as melhores práticas para a exploração contínua e iterativa dos dados coletados, de forma online (OLAP). Ela permite trazer resultados de performance de modo amplo e a análise dos dados para a correta orientação do planejamento e tomada de decisão.

O BA permite o desenvolvimento de ferramentas que consigam analisar os dados da forma mais inteligente possível — ao entrarmos com a análise preditiva, temos a evolução do Big Data e da Inteligência Artificial —, com o foco nas frentes que mais importam ao negócio: colaboradores, receita, clientes e processos.

Como vimos, as inovações chegaram para ficar e todas elas só tem a auxiliar as empresas. Essas mudanças têm atingido os mais diversos setores e, para que as organizações permaneçam competitivas no mercado, precisam se adequar o quanto antes. Por isso, considere essas tendências de transformação digital e escolha as que mais vão movimentar o seu negócio!

Agora que você já sabe quais serão as maiores tendências de transformação digital, que tal curtir a nossa página no Facebook, e ficar sempre por dentro destas novas tecnologias?

Compartilhe:
Veja mais sobre digital_transformation

Vamos cocriar, solicite uma proposta dos nossos especialistas

Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível. Ao continuar a navegar no site, você concorda com esse uso. Para mais informações sobre como usamos cookies, veja nossasPoliticas de Privacidade.