Transformação digital: reunimos tudo que você precisa saber!

27 de Setembro de 2018 por Stefanini

A transformação digital é um processo pelo qual muitas empresas estão passando para se adaptar à nova realidade dos negócios. Seu início ocorreu quando as companhias perceberam que precisariam mudar para se manter fortes no mercado.

Muito se escuta falar sobre transformação digital. Apesar de o termo estar na moda, no entanto, poucos profissionais sabem como ele surgiu, por que é importante, como aplicá-lo no seu dia a dia e, principalmente, os benefícios que aderir a esse conceito e torná-lo parte da cultura corporativa geraria para a empresa. 

Neste post, você entenderá o que é transformação digital, terá um breve histórico do conceito e de como ele funciona na prática e, ainda, saberá os mitos e desafios que cercam esse processo.

Além disso, nas próximas linhas, verá quais são as principais tendências do setor para os próximos anos, como implementar a transformação digital no dia a dia das empresas e, principalmente, quais são as vantagens que abraçar esse movimento inevitável traz para os negócios. Confira!

O que é transformação digital?

A transformação digital é um fenômeno que está mudando a forma de fazer negócios, a partir da transformação de empresas em empresas digitalizadas, mais eficazes e eficientes.

Esse termo está ligado ao uso de softwares. As firmas vêm digitalizando e automatizando diversos de seus processos. Entretanto, é importante lembrar que a transformação digital é abrangente a atende todas as áreas de uma corporação.

Para se destacar no mercado, as organizações precisam se reinventar. Hoje em dia, elas e seus clientes usam softwares e tecnologias para facilitar o dia a dia.

A transformação digital pode ser abrangente a ponto de promover uma mudança na essência de como a empresa presta seus serviços ou produtos. Um exemplo é a Netflix, que, no início, entregava os seus filmes via correio, cobrando o pagamento de uma taxa única e sem multas por atrasos.

Com a expansão da internet, os seus gestores viram uma oportunidade e, hoje, ela oferece seus produtos por meio de um serviço de streaming — que é como o aluguel de filmes, só que em uma plataforma online.

Com isso, a transformação digital pode ser entendida como o processo de adoção de novas perspectivas de mentalidade, atitude e operação das empresas. O foco deve ser a inovação, o uso de tecnologia e a experiência do usuário.

Apesar da inegável importância da transformação digital, o conceito ainda é ignorado por muitos gestores. De acordo com pesquisa realizada pela International Data Corporation (IDC) no Brasil com gestores de tecnologia de 100 grandes empresas, 27,4% dos profissionais não acham que a transformação digital seja importante.

Esse dado relativo ao mercado brasileiro indica uma oportunidade para quem se antecipa a essa tendência global, que não é de hoje.

No final de 2017, 70% das empresas que figuraram na renomada lista “Fortune 500” contavam com equipes dedicadas à transformação digital, que tinham entre suas principais atribuições analisar e otimizar a experiência do cliente. Não é à toa: atualmente, 67% da jornada do comprador é feita por meio digital.

Qual é a história desse termo? 

Agora que você sabe o que é transformação digital, é interessante acompanhar sua evolução ao longo dos anos para entender que, mais do que a adoção de tecnologias, ela é uma revolução no mundo dos negócios. É uma mudança que, dentro do processo empresarial, engloba pilares como Operações, Experiência do Cliente e Modelo de Negócios.

A essência da transformação digital começa na digitalização, que leva à desmaterialização e, em seguida, à desmonetização. Por fim, há a democratização e a disrupção.

Com isso em mente, é preciso entender que a empresa não pode esperar passivamente que o mercado leve à disrupção. Para se manter competitivo, o negócio deve promover a ruptura internamente, se abrindo, assim, para novas oportunidades. 

Confira um breve histórico da transformação digital e veja como ela ocupou papel central na mudança na forma de fazer negócios e é decisiva para manter as empresas atualizadas nos dias de hoje.

Anos 90

Conhecido como a era da Tecnologia da Informação, o período que cerca o ano de 1995 teve como principais características a busca das empresas pela otimização de processos internos, redução de custos e o início da digitalização, com criação de sites e novos canais para atender o consumidor.

A democratização da banda larga, o advento do computador pessoal e o aluguel de vídeos marcaram o período, tendo-se falado pela primeira vez em padronização de TI e contando com a criação de projetos digitais orientados pela área.

Anos 2010

Mais de uma década depois, mais precisamente em 2010, tem início a chamada era do Marketing Digital. Computadores pessoais evoluíram para drives, como mídias sociais e celulares. 

As marcas passaram a ter maior alcance e adaptar sua abordagem de marketing para o digital. Compra de mídia online e projetos digitais agora orientados pelo marketing estavam em voga. 

Hoje 

A partir de 2016, o cenário evoluiu novamente. Celulares e mídias sociais já são lugar-comum, compartilhando espaço com novas tecnologias, como reconhecimento de voz, Internet das Coisas (IoT), Machine Learning, tecnologia de nuvem e processos automatizados.

Na era da transformação digital, a proposta é desenvolver novas experiências de marketing, inventar processos e criar produtos e serviços. Os projetos digitais passam a envolver diversas áreas, que precisam atuar de forma totalmente integrada. 

Qual é a importância da transformação digital para as empresas?

As empresas podem ser divididas em quatro grandes setores. Detalharemos como a transformação digital pode gerar mudanças em cada um deles.

1. Produção

A automação de processos gera mudanças que impactam a forma de produzir e entregar produtos. A emissão de notas fiscais é um exemplo de como a transformação digital consegue facilitar tarefas e gerar transparência.

As empresas têm conseguido melhorar o engajamento por meio da personalização. A NIKEiD, por exemplo, é uma plataforma online que permite que o usuário crie o seu próprio tênis. Essa experiência só é viável porque a empresa promove uma forte interação entre a produção e a área de vendas.

A transformação digital permite o acompanhamento dos investimentos realizados. Dessa forma, as organizações podem analisar o processo e identificar as mudanças necessárias.

2. Marketing e vendas

Uma das prioridades de qualquer empresa é promover uma boa experiência do usuário. Conhecido como User Experience (UX), o conceito envolve a forma como o usuário trabalha com as ferramentas, marcas, produtos e serviços oferecidos. A transformação digital permite compreender o comportamento do consumidor para melhorar sua experiência e reter seus clientes.

A automação em marketing é outra maneira de transformação digital. As novas ferramentas permitem acompanhar e responder de forma personalizada e escalável todo o interesse pelo serviço ao longo da jornada de compra. Esse tipo de automatização reduz os trabalhos operacionais e aumenta a eficiência das ações, pois gera dados confiáveis e fáceis de analisar.

Os dados obtidos a partir de sistemas e da automação de marketing favorecem a melhoria do fluxo de vendas. A empresa que monitora e aprende a analisar seus dados de funil de vendas consegue aperfeiçoar os processos e tirar insights valiosos.

3. Finanças e contabilidade

No Brasil, a diminuição da burocracia é um fator que melhora consideravelmente a rotina de uma empresa. A assinatura digital é um método de validação que substitui a autenticação física, eliminando a necessidade do papel e facilitando a retirada de certidões pela internet.

Outro recurso que tem tudo a ver com a transformação digital de finanças é o blockchain. Em termos simplificados, blockchain é um livro digital com transações registradas de forma cronológica, e seus “cabeçalhos” podem ser visualizados por todos que tiverem acesso permitido. Eles contam com um sistema de criptografia avançado e difícil de ser violado. 

Seu grande patrocinador é o Bitcoin, mas não é só para a negociação de criptomoedas que o blockchain serve, podendo ser utilizado para armazenar dados contábeis e realizar transações bancárias e dados de contas a pagar e receber, garantindo a segurança dos dados gravados. O blockchain é um dos grandes exemplos de transformação digital dos negócios.

A transformação digital também tem trazido alto impacto para o meio ambiente. A necessidade de imprimir documentos é deixada de lado, e processos de assinatura eletrônica se tornam simples. O novo modo de armazenamento é digital. Dessa forma, a empresa consegue “alugar” esse armazenamento de acordo com a sua necessidade.

4. Recursos humanos

Com o uso de Inteligência Artificial, é possível realizar tarefas repetitivas, e as pessoas podem se dedicar a atividades que gerem valor ao negócio. Na área de recursos humanos, a Inteligência Artificial está sendo utilizada no recrutamento de novos talentos para as empresas, por exemplo. É um grande avanço, que permite selecionar os candidatos adequados para cada posição.

Os benefícios da transformação digital modificarão o mercado de trabalho. Algumas profissões deixarão de existir, e outras surgirão. Segundo uma pesquisa da howmuch.net, os especialistas em Inteligência Artificial estão na lista dos melhores salários do mercado americano.

Como usar o design thinking como ferramenta de transformação digital?

Com o design thinking, pode-se solucionar problemas ou desenvolver um novo produto de uma forma ágil e atendendo às necessidades reais dos usuários.

É importante lembrar: o design é um campo de conhecimento que não diz respeito somente à estética, mas foca muito a funcionalidade de um produto e a maneira como ele se insere na vida das pessoas. O design thinking é uma metodologia de inovação essencial para a transformação digital. Veja seus passos abaixo.

Imersão

A equipe mergulha no problema que se propôs a entender, entrando em contato com quem sente as "dores" — os consumidores. Outras fontes de informação como dados externos, notícias, artigos e outros podem ser consultados.

O time procura viver as mesmas experiências de quem enfrenta o problema no dia a dia. No início, o próprio problema ainda pode estar obscuro, podendo ser um sintoma de outra causa ou simplesmente não existir.

Síntese e delimitação do problema

Após a imersão, a equipe precisa definir o problema de forma clara. Esse ponto é chave, pois, se a equipe não estiver alinhada em relação ao que se busca resolver, muita energia pode ser gasta em vão. É sempre bom ter em mente o impacto esperado pela solução.

Brainstorm para geração de ideias

Com o problema definido e as dores do cliente internalizadas, a equipe se reúne para gerar o máximo de ideias. Durante o brainstorm, nenhuma ideia pode ser censurada. Ponto importante: todo comentário precisa ser anotado.

Delimitação

Ao término do brainstorm, haverá um conjunto de novas ideias. Cabe à equipe analisar quais delas podem se transformar em uma solução para resolver o problema de forma simples.

Prototipagem

O objetivo é colocar a ideia em prática. A equipe deve criar um protótipo para testá-la. O objetivo não é investir milhões para a criação de um produto ou processo, mas sim criar uma primeira versão barata, para validar a viabilidade da ideia escolhida.

O design thinking pode ser aplicado em qualquer tamanho de empresa. Por ser um processo colaborativo envolvendo a equipe e quem sente o problema (o cliente), as soluções podem nascer com naturalidade.

Por esses motivos, o design thinking é uma ferramenta-chave no processo de transformação digital, dando ênfase aos problemas relevantes ao cliente — seja ele a própria equipe (cliente interno), fornecedores ou o consumidor (clientes externos). Com essa nova visão, as pessoas conseguem resolver os problemas de forma ágil e criativa.

Como implantar a transformação digital?

As empresas ainda enfrentam dificuldades para iniciar sua transformação digital. Mesmo implementando novas tecnologias, o verdadeiro bloqueio vem do ambiente pouco propício ao uso da criatividade para resolver problemas.

transformação digital convida as pessoas a quebrar paradigmas e fazer as coisas com novas formas, procurar novos caminhos, com agilidade e de forma intuitiva. Por isso, é difícil promover a transformação digital quando o pensamento predominante é o convencional. A forma mais segura de implantá-la é definindo uma estratégia. 

Incluir estratégia de TI

O plano estratégico de TI deve estar alinhado com o plano de negócios, e os objetivos do plano de negócios devem estar claros, para que o time de TI consiga alinhar as expectativas e buscar soluções compatíveis com os objetivos. Uma boa estratégia é avaliar as mudanças e ir atrás de tecnologias para alcançá-las.

Implantar arquitetura corporativa

A arquitetura corporativa ajuda a reduzir a complexidade associada à transformação digital ao monitorar a arquitetura de sistemas e a infraestrutura de TI. Um conjunto de regras ajuda na governança de todo o processo e facilita o trabalho.

Criar planos para gerenciar mudanças

Como a cultura da empresa talvez não esteja alinhada à transformação digital, pode haver atrasos na implementação. A mudança cultural é um passo muito importante e não deve ser subestimado; pelo contrário, ele deve ser tratado com cuidado, para não se tornar um empecilho. Os planos devem ser claros e focar os objetivos esperados.

Rever os processos de negócios

A transformação digital traz possibilidades de otimizar processos. Por exemplo, a implementação de um software CRM (Customer Relationship Management, ou Gestão de Relacionamento com o Cliente) voltado para vendas é um passo simples e eficiente. Dados sobre desempenho serão obtidos, e isso ajudará os gestores a tomar as melhores decisões.

Estabelecer requisitos de gerenciamento de risco

É impossível determinar quando um risco se realizará e qual será seu impacto, mas é possível desenvolver abordagens de gerenciamento de riscos e prever fatores potencialmente perigosos. É importante mapear os riscos e definir planos para diminuir a fragilidade dos sistemas.

Avaliar a estrutura escalável

Uma estrutura escalável é aquela em que o crescimento ocorre em proporção muito maior que o aumento de capital e/ou pessoal. Para isso, é preciso um processo automatizado que garanta a qualidade.

Toda empresa precisa ter escalabilidade similar à das startups. Escalando o negócio, é possível aumentar lucro e produtividade e utilizar os recursos ganhos para desenvolver outros setores da empresa.

Procurar por inovação disruptiva

Um dos maiores exemplos de inovação disruptiva é a transformação digital da indústria musical. No passado, as pessoas precisavam comprar um conjunto de músicas em meios físicos, mas não queriam isso. A Apple entendeu o cliente e criou todo um ecossistema que transformou para sempre o mercado — o iPod. 

Repensar o modelo de negócio

A identidade de uma empresa é fortemente relacionada com o seu modelo de negócios e a maneira como as tarefas são executadas. A transformação digital deve mudar a forma como os negócios são feitos, automatizando e abusando do uso de analytics (ou análise de dados). 

A dificuldade é comum, e, em certos pontos, encontra-se muita resistência, mas o papel do CEO é chave para esse processo. As empresas devem buscar a melhor produtividade.

Criar valor a partir de dados

Os dados devem ser aproveitados para gerar valor para a empresa. Se aplicados de maneira estratégica, eles podem aumentar a receita e ajudar na criação de ideias e projetos inovadores. Assim, a análise de dados é essencial nesse processo, e as empresas que sabem aproveitar os benefícios de analytics se destacam no mercado.

Em qual etapa da transformação digital sua empresa está?

Para identificar em qual etapa da transformação digital a sua empresa se encontra, é necessário analisar as tecnologias que já são utilizadas e as possibilidades de mudança no mercado. O autoconhecimento permite enxergar os objetivos da transformação digital em cada empresa.

Etapa 1: Adoção de tecnologias sem mudar o negócio

A empresa busca por soluções digitais, mas o trabalho continua sem grandes mudanças. As tecnologias são utilizadas para aumentar a produtividade e a qualidade das tarefas, mas sem alterar a estrutura de negócios.

Aos poucos, os resultados aparecem, e a empresa busca a próxima etapa da transformação digital.

Etapa 2: Formalização da tecnologia como parte do negócio

A empresa já reconhece a importância da tecnologia em seus processos e adota formalmente soluções tecnológicas, mas ainda não há uma alteração substancial em sua estrutura e visão de negócios.

Essa é uma fase de transição. Ao longo do tempo, com os resultados obtidos, a empresa sentirá a necessidade de inovar.

Etapa 3: A tecnologia como parte da estratégia do negócio

A empresa já está inserida na cultura de inovação, e a tecnologia faz parte da sua estratégia de negócio. 

Nessa etapa, a estrutura organizacional tende a ser horizontal, eficiente e enxuta. A mudança não é só usar tecnologia; existe uma cultura de inovação inserida na empresa, que une as pessoas e cria uma atmosfera colaborativa forte.

Etapa 4: Infraestrutura forte convergente

A empresa tem infraestrutura convergente e voltada para a tecnologia e inovação. As startups são exemplos de negócios que já nascem com modelos disruptivos e com alta maturidade digital. São empresas com processos baseados em tecnologias novas e adaptabilidade às mudanças.

Etapa 5: Inovação e adaptação impulsionadas pela tecnologia

Um processo de evolução contínua e digital. Tudo na empresa é digital, e a eficiência em analytics está por toda parte, sempre em busca de novas tecnologias para aumento da eficiência. 

O importante desse processo é ter o cliente como centro de tudo. As corporações, nessa etapa, estão amadurecidas e inovam com facilidade. Elas se adaptam às mudanças sem medo e lideram a mudança de mercado no mundo.

Quais são os mitos da transformação digital?

Investir na transformação digital é atitude inegociável para manter as empresas competitivas. No entanto, muitos mitos cercam o processo, afastando dessa mudança tão necessária, principalmente, as pequenas organizações. 

Conheça alguns dos mitos da transformação digital e entenda por que você não deve deixar essas crenças atrapalharem a evolução da sua empresa!

Achar que é exclusividade de certas empresas

Muitos gestores cometem o erro de acreditar que a transformação digital é algo exclusivo de gigantes como Google, Netflix e Apple. Na verdade, esse é um processo que pode e deve fazer parte da estratégia de organizações de todos os setores e portes.

Mesmo pequenos negócios, como um escritório de design, podem abraçar a transformação digital para melhorar seus processos. Por que não usar a realidade virtual para apresentar projetos e encantar clientes? Além de melhorar a experiência, é algo que agrega valor ao produto final, melhorando, consequentemente, a rentabilidade do empreendimento.

Acreditar que o envolvimento dos gestores de TI não é necessário

Outro mito entre as empresas é que a implementação dos processos de transformação digital não necessita da atuação direta dos gestores de Tecnologia. Esse afastamento é prejudicial para o sucesso do processo a partir do momento em que a tecnologia está diretamente ligada não só à digitalização, como, também, ao negócio em si.

Por isso, é essencial que os projetos de TI que são destinados à transformação digital sejam conduzidos e assinados pelo gestor de Tecnologia, e não apenas por um profissional da área.

Considerar que é preciso mudar tudo de uma vez

Implementar a transformação digital na sua empresa é um processo. É um mito acreditar que é preciso colocar tudo abaixo e começar do zero. 

Por mais que seja urgente atualizar o seu negócio considerando a tendência, não é preciso mudar de uma vez todas as práticas corporativas e seu modelo de negócios.

Quais são os desafios?

 

Cultura organizacional

No processo de transformação digital, um dos principais desafios é mudar a cultura das pessoas. Alterar o mindset é a principal dificuldade para a transformação digital, pois isso significa desafiar o status quo. 

Assim, durante o processo de transformação digital, será comum ouvir argumentos como: "nós sempre fizemos assim", "o concorrente XPTO é muito pequeno para nos incomodar" ou "não temos dinheiro para isso".

Envolvimento global

Outro ponto é que a transformação digital não pode ser um departamento da empresa. É preciso inserir o conceito em todos os setores — e de cima para baixo, a partir do CEO. Porém, como a transformação digital impacta todos os setores da empresa, as iniciativas de implementação não devem vir somente da diretoria ou da TI, sendo cobrada de gestores de todos os departamentos.

Segurança da informação

É comum o processo de transformação digital envolver a centralização e a integração entre sistemas na empresa. Nesse cenário, a segurança da informação deve ser tratada com critério.

Uma vez que a empresa investe para crescer, uma falha na segurança pode ir contra a corrente, trazendo prejuízos e impacto à imagem. Nesse contexto, a transformação digital precisa ser acompanhada pela proteção dos dados e informações da empresa, que passam a ser um patrimônio-chave.

Definição de ferramentas e soluções

Há uma infinidade de ferramentas e soluções ligadas à transformação digital. É preciso entender, dentro das opções viáveis, quais fazem sentido para o seu negócio. Escolher os parceiros eficientes é fundamental para esse processo.

Assim, caso a empresa se sinta perdida, o ideal é contar com uma consultoria que possa mostrar esse caminho das pedras, auxiliando a escolher a melhor direção, ferramentas e tecnologias.

Além disso, os gestores patrocinadores da bandeira da transformação digital precisam estar atentos à mensuração de resultados, mesmo que, em um primeiro momento, eles não sejam financeiros.

O objetivo da empresa é gerar valor a seus acionistas e à sociedade, e isso será facilitado com o uso da tecnologia e da transformação digital dos negócios.

Devo adotar essa estratégia?

O principal motivo é o aumento da eficiência operacional. Adotar a transformação digital na sua empresa ajuda a automatizar os processos, otimizar os custos, aumentar a qualidade e gerar receita adicional. 

A empresa que não acompanha as necessidades de seus clientes pode deixar de existir em pouco tempo. Exemplos de destaque são Kodak, Nokia e Blockbuster. Inacreditável, não é mesmo?

As formas antigas de gerenciar as empresas estão no passado. As companhias precisam se adaptar para continuar competitivas e atender às necessidades de seus clientes. É preciso sair da zona de conforto e amadurecer a empresa digitalmente.

Quais são as vantagens de investir na transformação digital?

Não há dúvidas: para sobreviver no mercado, é preciso adotar a transformação digital, a fim atualizar sua empresa e competir em pé de igualdade com a concorrência. 

Entre os benefícios de trazer seu negócio para a era da transformação digital, estão mais eficiência nos processos, otimização da experiência do cliente e maior vantagem competitiva. Acompanhe mais algumas vantagens!

Mais eficiência nos processos 

Independentemente do setor e do porte, todas as empresas sofrem com fatores que prejudicam seu negócio. Em alguns casos, são processos arcaicos e manuais que atrasam as entregas e atrapalham a produtividade dos funcionários. Em outros, são a oferta de produtos e serviços defasados, que não acompanham as tendências do mercado.

Não importa o cenário. Ter a transformação digital como um dos pilares da sua empresa é uma forma de acabar com gargalos nos processos e, também, se atualizar em relação ao que está sendo oferecido pelo mercado.

Ao investir em processos digitais e automatizados, por exemplo, você melhora a produtividade da equipe, tem maior controle sobre as práticas internas e, ainda, aumenta a satisfação do cliente, por ele receber um produto e/ou serviço com mais agilidade.

Aplicar ferramentas características da era da transformação digital no dia a dia da empresa ajuda a resolver problemas corporativos comuns, como dificuldade na administração do tempo e no acesso à informação e falta de padronização de dados. Quando bem utilizada, a tecnologia é uma grande aliada para tornar a sua empresa competitiva em um cenário de mudanças constantes.

Melhor experiência para os clientes

É inegável que o futuro da indústria está intimamente ligado a oferecer a melhor experiência possível para os clientes. Nesse sentido, tornar a transformação digital prioridade para sua empresa é passo necessário para aumentar a satisfação dos consumidores e atingir melhores resultados. 

São diversas as formas de usar as novas tecnologias a favor do seu negócio. Uma delas é tornar a sua marca disponível para os clientes 24 horas por dia, 7 dias por semana. Por isso, um dos processos indispensáveis no processo de digitalização é oferecer um site que se adapte a todos os dispositivos e possa ser acessado pelo cliente da forma que for mais conveniente para ele.

Adotar inovações como chatbots, que permitem um atendimento rápido e que pode ser feito a qualquer momento, é outra maneira de oferecer a melhor experiência possível.

Lembre-se de que, para ter sucesso e usar a transformação digital a favor da sua organização, não basta apenas implementar inovações diversas: é preciso adaptar seu modelo de negócio para esse novo cenário e monitorar de perto indicadores-chave do impacto da transformação digital. Entre eles:

  • foco no cliente (fidelização, experiência do cliente);
  • eficiência operacional (produtividade da equipe, custo de TI, qualidade dos processos);
  • modelo de negócio (tempo para a tomada de decisões, crescimento da receita).

Vantagem competitiva

Outro benefício de priorizar a transformação digital na sua empresa é adquirir uma valiosa vantagem competitiva.

Negócios que se recusam a se atualizar e encaram a digitalização dos processos com desconfiança certamente ficarão para trás com uma rapidez assustadora. 

Da mesma forma, empresas que buscam usar a tecnologia para aprimorar seus processos e oferecer melhor experiência para seus clientes saem na frente por ganharem agilidade e terem informações mais consistentes para a tomada de decisão. Somados, esses fatores se revertem em uma grande vantagem competitiva.

É fato: a transformação digital é um caminho sem volta. Por isso, saia na frente em relação a muitos concorrentes e, pouco a pouco, implemente mudanças que tornem sua empresa cada vez mais digital.

Quais são as tendências de tecnologia para a transformação digital?

Como você já pôde perceber, o processo de transformação digital não é restrito a empresas consideradas referências em inovação, como Google e Apple. Ele é para todos.

Apostar nessa mudança é muito importante para atender às demandas do mercado e, entre outros pontos, criar experiências de marketing, reinventar o modelo de negócio e desenvolver produtos e serviços dentro de um novo contexto mercadológico. 

Para ajudá-lo nessa transição, listamos, abaixo, algumas das principais tendências de tecnologia da era da transformação digital. Sua empresa não precisa adotar todas de uma vez (nem mesmo implementá-las no futuro, caso não estejam alinhadas com seu modelo de negócio/público-alvo). 

O importante é tornar a inovação parte do DNA da firma, acompanhar de perto as tendências e sempre avaliar se vale a pena ou não considerá-la para o seu negócio, levando em conta missão, visão e valores de sua empresa. Confira!

Automatização de processos

Quando o assunto é transformação digital, uma das tendências que devem ser consideradas por organizações de todos os portes e setores é a automatização de certos processos. Em linhas gerais, isso consiste em delegar para máquinas tarefas que, até então, eram executadas por funcionários.

Automatizar processos com a adoção de ferramentas como o Enterprise Resource Planning (ERP) ou o Customer Relationship Management (CRM) é uma forma de liberar seus profissionais para atividades mais estratégicas, relacionadas ao core business da empresa, e, ainda, conquistar diversos benefícios na sua operação, como:

  • aumento da produtividade dos funcionários;
  • redução de custos, com diminuição de erros humanos e rapidez na entrega;
  • agilidade no atendimento ao cliente;
  • redução de gargalos internos;
  • padronização de processos;
  • centralização de informações;
  • mensuração mais efetiva de dados.

Tecnologia de nuvem

Uma das tecnologias cada vez mais usadas pelas empresas na era da transformação digital é a computação em nuvem, que vem do inglês cloud computing. 

Ao adotar essa tecnologia você dá adeus a planilhas de Excel salvas no computador ou enviada via e-mail e passa a acessar arquivos e serviços por meio da web, sem ter que instalar programas ou armazenar seus dados em uma máquina específica.

Entre os benefícios da tecnologia em nuvem, está mais segurança no armazenamento de dados. Muitos provedores disponibilizam um conjunto de controles e tecnologias para fortalecer sua postura de segurança, o que auxilia na proteção de dados, aplicativos e infraestrutura contra ameaças. 

A confiabilidade é outra vantagem. Apostar na tecnologia em nuvem reduz custo com backup de dados e, ainda, aumenta a mobilidade, já que as informações estão salvas na internet e podem ser acessadas de onde você estiver.

A redução de custos é outro fator atrativo. Ao adotar a tecnologia em nuvem, elimina-se a necessidade de fazer investimentos na aquisição de hardware e software, além de configurar e executar datacenters locais. 

Machine learning

Em uma tradução livre, “machine learning” quer dizer “aprendizado de máquina”. O conceito, que está inserido dentro da ciência da computação, permite a automatização das respostas ao usuário a partir de ferramentas como Inteligência Artificial (IA) e Big Data. 

Entre as empresas que já praticam esse conceito no dia a dia, estão YouTube e Netflix, que recorrem à tecnologia para sugerir vídeos, filmes e séries de acordo com o interesse do usuário.

Machine learning também é usado pelo Waze para guiar o motorista com mais rapidez nos seus trajetos diários.

Como você pode ver, o conceito, apesar de complexo, está presente nas mais diversas interações com a tecnologia e, por isso, não pode ficar de fora do seu radar.

Coleta e análise de dados, sistemas de vigilância, sistemas de recomendação e organização e classificação de informações são algumas das aplicações dessa tecnologia.

Como vantagens de implementar o machine learning, podemos citar tomar decisões mais rápidas, melhores insights e a possibilidade de analisar resultados em tempo real, o que permite adaptar rapidamente o negócio às mudanças no comportamento do consumidor. 

Internet das Coisas

Internet das Coisas ou, simplesmente, IoT é a conexão de dispositivos comuns no dia a dia, como meios de transporte e aparelhos eletrodomésticos, à internet. 

Segundo a consultoria Gartner, em 2020, serão 25 bilhões de dispositivos com conexão à grande rede. Em 2015, eram apenas 4,8 bilhões. Segundo a empresa, a tendência é que a IoT esteja cada vez mais presente na rotina. Com isso, sua empresa não pode ficar para trás.

A Internet das Coisas já é aplicada nos mais diversos segmentos, como agricultura e saúde. Vários países já usam, por exemplo, sensores conectados que medem batimentos cardíacos, pressão sanguínea e pulso dos pacientes, transmitindo as informações diretamente para os médicos. 

Os dispositivos não são usados somente em hospitais: podem ser utilizados também na casa dos pacientes em risco, o que agiliza o atendimento caso aconteça alguma mudança significativa no seu quadro, que é constantemente monitorado.

Reconhecimento por voz

O reconhecimento por voz é outra tendência da transformação digital. Quem nunca utilizou a Siri, da Apple, para pedir uma informação; ou recorreu ao “Ok, Google” para a previsão do tempo?

É cada vez maior o número de pessoas que usa essa tecnologia no dia a dia por sua praticidade e, também, por, muitas vezes, obter resultados mais rápidos do que no caso da digitação.

Além de estar preparada para a tendência de reconhecimento por voz, é importante que sua empresa otimize seus processos para usá-la da melhor forma possível. Isso é essencial para oferecer uma experiência do cliente inovadora e de qualidade.

Microsoft, por exemplo, tem uma função de reconhecimento de fala com taxa de erro de apenas 5,1%. Além disso, a ferramenta oferecida pela empresa funciona com diversas línguas, o que amplia o seu alcance. 

Inspire-se nesse exemplo e analise de que formas sua empresa pode usar a tendência a seu favor para melhorar seus resultados.

Como garantir o sucesso na jornada de transformação digital?

Seguir a transformação digital significa pensar diferente de 99% do mercado. Para garantir o sucesso na jornada de transformação digital, confie no processo e nas ideias que surgirem. Muitas novidades aparecerão, e você deve estar aberto a elas.

Além disso, é importante ter consciência de que dificuldades técnicas surgirão, o que é normal e previsto. Assim, pesquise novas tecnologias, para otimizar o negócio, e busque compreender o que é o melhor para os clientes, além de como os concorrentes se diferenciam. Esses passos formam um entendimento completo do mercado. 

Para finalizar, veja, abaixo, algumas boas práticas em relação à transformação digital!

Faça a mudança com urgência

Mais do que um diferencial, aderir à transformação digital é uma questão de sobrevivência. Muitas empresas simplesmente sumiram do mercado porque não tiveram a percepção de que precisavam se atualizar, seja em termos de práticas, produtos ou serviços, para acompanhar os movimentos do mercado e as necessidades dos clientes.

Ainda que sua empresa atue em um setor conservador, é preciso que ela tenha a percepção de urgência e se atualize por vontade própria. Não espere o mercado obrigar o negócio a mudar para não morrer.

Permita-se errar

Uma prática inadmissível na cultura corporativa tradicional, se permitir errar e expor os equívocos cometidos é uma boa prática dentro da era da transformação digital.

Não tenha medo de considerar a possibilidade de errar. Isso faz parte do processo de inovação. Caso o erro aconteça, não esconda. Exponha o equívoco, resolva o problema e não faça uma caça às bruxas para encontrar o culpado. A melhor postura é estimular que todos aprendam com o erro que foi cometido.

Aprenda rápido com os erros

Errar é permitido e pode, até mesmo, ser estimulado. Mas mais importante do que se permitir cometer equívocos é aprender rápido com aquilo que não deu certo.

Se um processo ou produto não funcionou como deveria, é preciso ajustar o ritmo e a precisão e não cometer mais o mesmo erro.

Nesse sentido, uma ferramenta valiosa é o feedback dos clientes e dos funcionários. Ele não só agiliza a correção de processos e lançamentos, como pode gerar insights interessantes.

Para aprender com os erros, é indispensável investir não só na coleta de dados, mas também na análise de números e informações. O acompanhamento de métricas é essencial para reverter resultados ruins e identificar possíveis falhas.

Adote uma cultura colaborativa

Uma prática importante para empresas que querem tornar a transformação digital uma prioridade é abrir mão da estrutura de controle que é padrão nos negócios tradicionais. 

Em vez de simplesmente dizer ao time o que fazer, a liderança deve estimular o compartilhamento e incentivar todos os profissionais a colaborar e trocar informações. 

É preciso acabar com o cenário em que cada departamento cuida “do seu”. Neste novo momento de mercado, é preciso que as áreas atuem de forma conjunta, contando, inclusive, com métricas comuns para alcançar os principais objetivos do negócio.

Invista em experimentação

Abraçar a inovação e inserir a transformação digital no DNA da empresa passa também por investir em experimentação. Planejar é preciso e desejável, mas é importante abrir espaço para testar o novo, sem garantias de que os resultados serão os esperados.

Teste hipóteses em prazos curtos e não hesite em implementar mudanças enquanto o produto ou serviço é melhorado ou atualizado. 

Para sua empresa se transformar digitalmente, é essencial abrir espaço para a experimentação e deixar de lado práticas ultrapassadas, que pouco acrescentam ao negócio.

A transformação digital é um processo que visa a oferecer serviços com alto valor agregado aos seus clientes. Não tem como definir até onde ela nos levará, mas, pelos resultados atuais, pode-se afirmar: ela é essencial para manter a competitividade ou até mesmo para garantir a permanência do seu negócio no mercado. 

Grandes exemplos de transformação digital são Apple, Google, Netflix, AirBnB, Uber, Nubank, PayPal, eBay e tantos outros. Inspire-se nessas empresas para mudar a realidade do seu negócio!

Gostou do conteúdo e quer mostrá-lo a seus contatos? Então, compartilhe este post nas suas redes sociais!

Solicite uma proposta dos nossos especialistas