7 principais indicadores de desempenho essenciais para sua empresa

10 de Maio de 2021 por Stefanini

A transformação digital é uma mudança que muitas empresas estão passando atualmente, pois o foco é superar a concorrência e atender às novas demandas do público consumidor. Logo, a automatização de processos e a virtualização de atendimentos e serviços são manobras essenciais para conseguir destaque no mercado, o que reforça a necessidade de levantar os indicadores de desempenho (KPIs).

Essas métricas precisam ser adotadas para acompanhar a transição tecnológica do negócio da melhor forma possível. Reforçando que elas são as melhores ferramentas para monitorar a performance da companhia. Neste conteúdo, você vai conhecer os principais indicadores de desempenho para mensurar as inovações internas e externas do seu empreendimento. Confira!

A importância dos indicadores de desempenho

Também chamados de Key Performance Indicators, ou simplesmente KPIs, esses são recursos de medição que as empresas utilizam para saber se estão no caminho certo. O uso desses medidores é uma maneira de analisar os objetivos do negócio. Dessa forma, é possível compreender quais ações são bem-sucedidas ou precisam de melhorias.

Esse processo é indispensável em organizações que investem em automatizações internas e externas com o intuito de reduzir os ciclos de elaboração e tempo de desenvolvimento de produtos e serviços. Com os KPIs, as decisões são baseadas em dados concretos, o que dá muito mais segurança, credibilidade, assertividade e resultados satisfatórios.

Os 7 principais indicadores de desempenho

Com sua função em mente, vale a pena conhecer os indicadores de desempenho que não podem faltar na gestão empresarial com foco na transformação digital. Veja os principais!

1. Taxa de conversão

É uma métrica que contribui para avaliar a performance das ações de marketing, por exemplo. Ela mostra o percentual de leads que chegaram a uma etapa do funil de vendas (topo, meio e fundo) e foram convertidos. É o caso do número de visitantes de um e-commerce, que se tornaram compradores em potencial.

Por meio da taxa de conversão, é possível saber se as abordagens realizadas têm retorno ou não sobre os investimentos. Ela também detecta as vulnerabilidades da estratégia e os pontos que precisam de ajustes. Para calcular esse indicador, basta usar a seguinte fórmula:

Taxa de conversão = nº de conversões ÷ leads que chegaram até o ponto de conversão × 100

Aqui, podemos imaginar uma loja virtual que conseguiu 400 vendas em um mês após gerar 10 mil visitas ao seu site, resultando em uma taxa de 4%.

2. Custo por lead

Esse parâmetro é fundamental para fazer comparações e adequações estratégicas. Com ele, é possível levantar o custo-benefício das abordagens, trabalhando para que o custo de aquisição de cada lead seja baixo.

Para calcular esse indicador, considere o investimento feito em alguma campanha e, depois, divida essa quantia pelo total de leads obtidos por meio daquela ação de marketing.

Custo por lead = gasto com a campanha ÷ n° de leads captados

3. Ticket médio

O lado da arrecadação também deve ser medido, por isso, o aumento do ticket médio é importante. Ele indica a média de valor gasto por consumidor com os produtos e serviços da empresa. O cálculo é feito dividindo o faturamento pelo número de vendas do mesmo período.

Vamos imaginar que sua empresa fez oito vendas em um dia, com os seguintes valores:

  • R$ 180,00;
  • R$ 90,00;
  • R$ 220,00;
  • R$ 350,00;
  • R$ 520,00;
  • R$ 310,00;
  • R$ 430;
  • R$ 600.

Logo, o ganho foi de R$ 2.700,00. Dividido pelas 8 vendas, isso representa um ticket médio de R$ 337,50 no período. Como esse valor oscila muito a cada dia, é necessário fazer medições periódicas para avaliar o desempenho das vendas, considerando o crescimento em épocas sazonais que movimentam a empresa.

4. Valor do ciclo de vida do cliente

Também chamado de Lifetime Value (LTV), esse indicador faz jus ao nome. É o faturamento que um consumidor traz à empresa enquanto ele está ativo. Para levantar esse número, basta analisar o ticket médio do comprador e a duração de consumo recorrente.

Poe exemplo, no caso de um negócio que comercializa assinaturas de planos com valores mensais de R$ 250,00, durante um ano, o LTV será de R$ 3.000,00. Com esse dado em mãos, a gestão pode comparar se o dinheiro investido pelo cliente corresponde ao retorno dado pela empresa contratada.

Outra intervenção que essa métrica oferece é a possibilidade de constatar a necessidade de lançar novos produtos para elevar a durabilidade do LTV, além de aprimorar as manobras de captação de novos consumidores.

5. Taxa de follow-up

Em algumas companhias, as vendas não são realizadas no primeiro contato. Geralmente, é preciso fazer diversos contatos de follow-up para encontrar o momento ideal de oferecer os itens presentes no catálogo. Trata-se de e-mails, telefonemas, chamadas de vídeo, visitas, reuniões etc.

O que ocorre é que muitos negócios não são fechados, pois os vendedores não conseguem acompanhar e compreender as demandas do possível cliente. Portanto, esse indicador depende das ações da equipe comercial.

É preciso que todo o time fique de olho nas respostas e no comportamento do consumidor a cada ação de follow-up. Se notar que deve usar uma técnica de venda diferente, é necessário adaptá-la ao momento. Como não existe uma regra, cada negociação precisa de um determinado número de abordagens para fechar uma venda.

6. Retorno sobre o Investimento (ROI)

O ROI é um dos indicadores de desempenho mais relevantes desta lista, pois garante o resultado real de uma campanha de marketing ou ação de melhoria. De forma simplificada, se uma marca investe R$ 500,00 em publicidade digital e consegue retorno de R$ 10.000,00, o ROI deve ser calculado a partir da seguinte fórmula:

ROI = (Receita – Investimento) ÷ Investimento

ROI = (10.000 – 500) ÷ 500

ROI = 19

Nesse caso, o Retorno sobre o Investimento é 19 vezes superior ao valor investido.

7. Retorno em engajamento dos funcionários

Medir o engajamento dos funcionários é importante para saber se a transformação digital está surtindo efeito dentro da empresa. Essa análise é feita para avaliar as atuações profissionais e operacionais de uma instituição. Os aspectos que ajudam a ter times de alta performance durante e após o processo de transição são:

  • comprometimento do time;
  • eficiência do recrutamento;
  • grau de aceitação das novas políticas operacionais;
  • nível de criatividade;
  • retorno dos incentivos (novas ferramentas de trabalho).

Ao levantar esses dados, é possível focar em demandas que não estão sendo cumpridas e tomar decisões estratégicas para fazer otimizações individuais, funcionais e corporativas.

Ao utilizar os indicadores de desempenho mencionados, você saberá como proceder para lapidar as ações internas e externas da sua empresa a fim de vencer a concorrência e ganhar mercado. Além disso, vale mencionar a importância de acompanhar as tendências de transformação digital para deixar seu negócio sempre um passo à frente dos demais.

Gostou de conhecer os principais KPIs utilizados pelas empresas? Acompanhe nossas redes sociais para ficar por dentro de outras novidades sobre inovação, tecnologias e talentos. Estamos no Facebook, LinkedIn, Twitter e YouTube!

Compartilhe:
Veja mais sobre

Vamos cocriar, solicite uma proposta dos nossos especialistas

Veja outros serviços capazes de complementar esta solução

O COVID-19 deixou claro que precisamos nos adaptar rapidamente à nossa nova realidade e com agilidade.

Saiba mais

Na era do COVID-19, a resiliência das empresas está sendo testada de maneiras nunca antes encontradas.

Saiba mais

Embora a resposta de cada setor ao COVID-19 tenha sido diferente, universalmente, os setores estão reformulando a maneira como fazem negócios por meio da interrupção digital.

Saiba mais

O impacto do COVID-19 criou uma situação em que a necessidade do local de trabalho digital é crucial, pois grande parte da força de trabalho está sendo acelerada para atuar como nômades digitais funcionais.

Saiba mais

O COVID-19 criou condições nunca antes vistas, introduzindo cenários em constante mudança.

Saiba mais

Compreender os riscos de ter aplicativos, páginas da Web ou servidores vulneráveis ​​é muito importante para sua estratégia de gerenciamento de riscos.

Saiba mais

Veja outros serviços capazes de complementar esta solução

Necessidades Digitais

Necessidades Digitais

O COVID-19 deixou claro que precisamos nos adaptar rapidamente à nossa nova realidade e com agilidade.

Saiba mais
Construindo Negócios Resilientes

Construindo Negócios Resilientes

Na era do COVID-19, a resiliência das empresas está sendo testada de maneiras nunca antes encontradas.

Saiba mais
Reformatando Indústrias

Reformatando Indústrias

Embora a resposta de cada setor ao COVID-19 tenha sido diferente, universalmente, os setores estão reformulando a maneira como fazem negócios por meio da interrupção digital.

Saiba mais
Cloud Now

Cloud Now

O impacto do COVID-19 criou uma situação em que a necessidade do local de trabalho digital é crucial, pois grande parte da força de trabalho está sendo acelerada para atuar como nômades digitais funcionais.

Saiba mais
Hyper Automation

Hyper Automation

O COVID-19 criou condições nunca antes vistas, introduzindo cenários em constante mudança.

Saiba mais
Cyber Security Plug & Play

Cyber Security Plug & Play

Compreender os riscos de ter aplicativos, páginas da Web ou servidores vulneráveis ​​é muito importante para sua estratégia de gerenciamento de riscos.

Saiba mais