Squads Ágeis: 7 motivos que fazem deles o caminho mais seguro

As transformações digitais dos últimos tempos têm levado muitas empresas a se questionarem sobre suas formas de atuação. A questão é que fazer parte da indústria 4.0 vai além da implementação de ferramentas. Mudar sistemas de trabalho e até a cultura organizacional é um dos pontos mais importantes para fazer tudo dar certo.

Por isso, refletir sobre a viabilidade de implementar a metodologia de squads ágeis faz todo sentido. Para quem está se perguntando o que o termo significa, explicamos: squad é um pequeno grupo multifuncional, que tem foco no desenvolvimento de soluções criativas, alinhadas às necessidades dos clientes.

As equipes são autônomas, têm liberdade para agir e são compostas por profissionais de diferentes especialidades, como marketing, vendas, administração, tecnologia e finanças. Independentemente de como os times são montados, todos têm um objetivo em comum — a entrega de algo de valor, a partir do desenvolvimento ágil.

Conversamos com Ronaldo Costa, agile coach na Stefanini, que contribuiu com seus conhecimentos sobre o tema. Com ele, vamos entender os principais motivos de fazer essa escolha disruptiva dentro da empresa. Confira!

1. Acompanhamento de processos

Como estávamos comentando lá no início, falar em impactos da transformação digital não se refere apenas à implementação de novas tecnologias. Ferramentas mais robustas são importantes, mas esse movimento também implica uma série de questões, entre elas a preparação do ambiente e a mudança de cultura.

Em uma empresa, os squads ágeis têm o papel de acompanhar a implementação das melhorias, dar suporte no que for necessário e apoiar a empresa nas mudanças. Ronaldo Costa explica que essas equipes “são responsáveis pelo sucesso do negócio do cliente, de ponta a ponta”.

Segundo o especialista, elas ajudam a propiciar a inovação e a agilidade na estratégia das organizações, por meio de uma colaboração incondicional, um mindset de experimentação e uma entrega de valor, que vai desde a definição do portfólio até a construção dos artefatos necessários.

2. Rapidez nas respostas

Os squads ágeis, como se sabe, são focados em entregas aceleradas e, para isso, utilizam ferramentas específicas, a exemplo da metodologia ágil Scrum. “Elas focam no desenvolvimento rápido de produtos, na entrega contínua e conseguem feedbacks rápidos sobre suas entregas”, explica Ronaldo.

Os membros dos squads são completamente dedicados, incentivados e auto-organizados, o que permite mais adaptabilidade e velocidade na tomada de decisão. Ele ainda destaca que as equipes se alinham rapidamente às estratégias organizacionais e entendem o propósito da solução a ser desenvolvida.

Essa agilidade também se traduz em maior produtividade e na redução de custos. Menos reuniões são necessárias e um número reduzido de pessoas é envolvido na tomada de decisões.

3. Desenvolvimento de equipe autogerenciável

Squads ágeis costumam trabalhar em empresas horizontais, sem muito foco em hierarquias. Por isso se viram bem se não houver um gerente ao conduzi-las — elas se gerenciam sozinhas. Essa habilidade também faz com que se adaptem facilmente a cada projeto. Equipes com essa capacidade também têm destreza ao criar fluxos de processos que as orientam em cada decisão.

“Aqui na Stefanini, seguimos um framework de transformação, o qual é composto por várias etapas. A primeira, que chamamos de assessment, é entender melhor o objetivo estratégico do projeto. Realizamos entrevistas e consolidamos os dados em relatórios. Após a análise, definimos com o cliente o que será priorizado e damos treinamentos e mentoria. Não são etapas sequenciais, mas nos orientam para aplicar a transformação”, esclarece Ronaldo.

4. Colaboradores mais responsáveis

Squads ágeis são equipes engajadas com o sucesso. Elas têm a consciência da responsabilidade em cada projeto e na entrega da solução. Isso gera um senso de coletividade em que todos se apoiam para alcançar o mesmo objetivo.

Ronaldo Costa complementa que os times são organizados de forma presencial ou remota, estes últimos denominados Virtual Agile Teams. “As práticas implementadas são viabilizadas por muita comunicação, colaboração e confiança. Todos precisam ter estratégias e propósitos transparentes, para que alcancem resultados de negócio”.

5. Multidisciplinaridade

Esqueça essa história de o funcionário alegar que não fará determinada atividade por não ser de sua incumbência. Quando se tem squads ágeis, todos assumem o compromisso pela entrega final. Isso porque a colaboração vai além das funções predefinidas.

“Um dos efeitos desse modelo é que, mesmo que cada membro tenha suas especialidades, nada o impede de contribuir das mais variadas formas. Todos se sentem motivados a ir além da função principal e buscam o máximo de aproveitamento da capacidade e do tempo da equipe”, ressalta Ronaldo.

6. Foco em melhoria contínua

Um dos valores seguidos pelos squads ágeis é a melhoria contínua, na metodologia Kaizen, que segue alguns princípios. Eles são a eliminação de desperdícios, o alto engajamento dos colaboradores e a retroalimentação constante, com aprendizados e otimizações.

As práticas são sempre avaliadas para que os processos possam evoluir e a equipe continue progredindo e se adaptando. Tudo isso de modo a garantir aderência às futuras necessidades da organização. E as reuniões que demandam a contribuição dos profissionais são desafiadoras.

Ronaldo conta que, na Stefanini, o planejamento das funcionalidades é executado com um backlog acessível a todos. “A revisão da entrega ao cliente é realizada com ferramentas de interação, para proporcionar melhor experiência e melhoria contínua dos squads. As oportunidades de otimização são baseadas em dados extraídos por um processo de Data Analytics, permitindo o estudo de indicadores qualitativos e quantitativos”, pontua.

7. Gestão de mudança

Mudanças nem sempre são fáceis dentro das organizações. Elas costumam gerar resistências dos colaboradores, o que implica negativamente na consolidação da transformação. Squads ágeis, além de entenderem a importância de aceitar as mudanças, comportam-se como agentes apoiadores. Baseiam-se em modelos que dão suporte a esse processo, como Lean Change Management, Design Thinking e Lean Startup.

A metodologia de squads ágeis, como você viu, conta com diversas vantagens e tende a potencializar os resultados do negócio. Contudo, para que as equipes consigam trabalhar com produtividade e entregas de valor, lembre-se de que elas precisam contar com ferramentas digitais que consigam dar todo o suporte necessário.

Gostou de entender os principais motivos para contar com squads ágeis? Caso tenha ficado com dúvidas ou precise de ajuda, entre em contato conosco!

Junte-se a nós

Receba Em Seu E-mail Conteúdos Exclusivos

Inscreva-se em nossa newsletter e receba novidades sobre o Grupo Stefanini.