O que é preciso para começar a oferecer serviços financeiros

18 de Dezembro de 2019 por Stefanini

Aumentar o faturamento de uma empresa, independente de qual seja seu setor de atuação, tende a ser um desafio frequente para gestores. Felizmente, há uma série de medidas que podem contribuir para a superação desse obstáculo. Conceitos como pós-consumidor e experiência do usuário vêm sendo debatidos com frequência com intuito de estruturar as bases para alcançar tal objetivo.

Diante deste contexto, oferecer serviços financeiros surge como uma maneira de promover o aumento das vendas atrelado à satisfação e ao encantamento do cliente perante uma marca. Quer saber como implementar essa oferta em seu negócio e entender as vantagens de adotá-la? Continue a leitura!

Por que oferecer serviços financeiros?

Empresas que têm muitos clientes, funcionários e fornecedores, formam um grande ecossistema — dentro do qual conseguem ampliar sua oferta para além de seu core business e passar a oferecer serviços financeiros. Com isso, deixam de depender dos bancos para realizar essas operações.

A ampliação do escopo de atuação resulta em inúmeros benefícios, tanto para os clientes quanto para as organizações. Confira alguns deles a seguir!

Solução no período de recessão

É inegável que existe uma relação entre a oferta de novos serviços e a geração de negócios. Apesar disso, é preciso pensar em quais iniciativas vale a pena investir levando em conta a atual conjuntura econômica do país. 

Em um cenário de recessão, muitos indivíduos recorrem a bancos e outros meios tradicionais para buscar empréstimos, contudo, não é raro que encontrem dificuldades de aprovação de crédito.

Empresas podem se beneficiar bastante com o oferecimento de serviços financeiros, pois além de garantir o crédito de forma segura, elas permitem que os clientes tenham maior poder de decisão sobre variáveis como valor e prazo, de acordo com as suas preferências e possibilidades.

Nova fonte de receita 

Um exemplo nesse quesito é o Facebook. Em meio ao declínio do uso da rede social, a empresa começou a colocar em prática suas atividades financeiras em junho de 2019, conforme noticiado pelo site do Valor Econômico

Como uma fonte de receita alternativa, a organização financiará uma nova moeda baseada em blockchain; a Libra. De forma complementar, lançará uma carteira digital chamada Calibra, que vai funcionar tanto dentro do WhatsApp e do Messenger, quanto como um aplicativo separado. 

Inicialmente, a Calibra permitirá somente transferências entre os contatos, mas o objetivo é agregar, com o tempo, serviços como pagamentos de contas, compras com QR Code, pagamento de transporte público e também empréstimos. 

Fidelização de clientes

Pense que uma empresa do setor alimentício resolveu criar um banco. A princípio, a ideia parece não fazer sentido, contudo, ao conceder contas de pagamento aos clientes, a organização pode oferecer crédito para que façam compras no próprio estabelecimento. 

Esse é o mesmo princípio do cartão de crédito de lojas que, para o consumidor, apresenta um grande valor. Com isso, as empresas enfrentam um risco reduzido — tendo em vista que disponibilizarão um crédito mais baixo e com menores chances de inadimplência — e ainda conseguem controlar como o cliente usará o crédito.

Captação de dados

Geralmente as redes de varejo que vendem móveis, eletrônicos e eletrodomésticos oferecem as condições necessárias para que suas faturas sejam quitadas no próprio estabelecimento. Ao comprar uma geladeira, por exemplo, o boleto é gerado na loja e pode ser quitado lá mesmo, em vez de precisar da mediação de um banco.

Além de facilitar o pagamento e proporcionar comodidade aos clientes, há a vantagem do dinheiro circular apenas dentro do ecossistema financeiro organizacional em que foi gerado. Assim, a empresa pode saber onde, quando e o que os consumidores compram, além de entender como pagam suas contas. Com esses dados em mãos, é possível elaborar em estratégias de vendas mais direcionadas e oportunas.

Como oferecer serviços financeiros?

Vale destacar que, pelo fato de as operações financeiras serem uma opção adicional disponibilizada para o cliente, as empresas não precisam sair do seu core business para oferecê-las. Tal prática, inclusive, não é tão complexa quanto se imagina — e está se tornando cada vez mais democrática. 

Em primeiro lugar, é preciso pensar no que a empresa de fato quer e até onde ela está disposta a ir. Devem analisados o tamanho de seu ecossistema e ser estabelecidos  os principais objetivos que se pretende atingir por meio do oferecimento de serviços financeiros. Aqui, podem ser colocados em pauta a retenção de clientes, diminuição de custos e assim por diante — todas as possibilidades são válidas!

Outro ponto importante é conhecer os gastos de sua empresa (como a geração de boletos ou de crediários) e entender de quais formas estes custos podem ser otimizados. Também é necessário estudar o mercado e entender quem são os principais concorrentes no ramo, fazendo um benchmarking aprofundado.

A partir disso, deve ser feita a escolha dos serviços que serão ofertados (cartão, conta de pagamento, empréstimo etc.). Lembre-se que essa definição deverá ser realizada com base no comportamento do consumidor. Se grande parte do público da sua empresa não tem conta em um banco, o oferecimento de serviços financeiros é encarado como uma oportunidade. Contudo, não deixe de considerar que esses clientes podem querer continuar assim. Portanto, avalie bem se você tem ou não um conjunto real de clientes em potencial.

Após definir os serviços, é preciso fazer com que eles fiquem claros para todos: tanto para quem consome quanto para quem faz a venda. É indicado não criar barreiras, de modo a solucionar as demandas da jornada do cliente com agilidade e pouca burocracia. Com a dose certa de transparência e flexibilidade, a oferta tende a ser bem-sucedida. 

Nesse processo, o essencial é contar com o suporte de alguma empresa especializada, capaz de fornecer o serviço adequado em relação à tecnologia e à experiência do usuário, mas que também consigam ajudar no planejamento do negócio como um todo. 

Mesmo diante de tantas transformações, muitas pessoas ainda acreditam que apenas os bancos podem oferecer serviços financeiros, e essa é uma ideia que precisa ser desmistificada. Tal possibilidade está ao alcance de organizações de diferentes segmentos e colocá-la em prática não é tão complicado quanto parece, basta conhecer o seu mercado de atuação e contar com o suporte tecnológico necessário para executar a estratégia. 

Se você gostou do conteúdo e quer saber como implementar uma oferta financeira em seu negócio, entre em contato conosco!

Compartilhe:
Veja mais sobre

Vamos cocriar, solicite uma proposta dos nossos especialistas

Veja outros serviços capazes de complementar esta solução

testetetetete

testete

tatetadata

teste

tstete

aaaaaaaaaaaaaaaaa

Veja outros serviços capazes de complementar esta solução

Experiência

Experiência

testetetetete

Cyber Security

Cyber Security

testete

Machine Intelligence

Machine Intelligence

tatetadata

Enterprise Hosting

Enterprise Hosting

teste

Consulting

Consulting

tstete

IT Strategy

IT Strategy

aaaaaaaaaaaaaaaaa

Veja também

case

Cocriando soluções para um futuro melhor

case

Sophie - Assistente Virtual Inteligente