Grupo Stefanini investe para o crescimento contínuo de mulheres em cargos de liderança

08 de Março de 2020 por Stefanini

Diversas pesquisas vêm apontando, desde 2000, o aumento de mulheres em posições de liderança, embora no Brasil a taxa seja de 19% contra a média global de 27%. Segundo levantamento realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a participação feminina no mercado de trabalho deve crescer mais que a masculina até 2030 em função de mudanças culturais e de um maior investimento em educação e qualificação.

            No Grupo Stefanini, este movimento vem acontecendo naturalmente em vários países. No Brasil, 42% das contratações realizadas em 2019 foram de mulheres, sendo que elas ocupam 36% dos cargos de gestão. Hoje, as diretorias financeiras na América Latina, Estados Unidos e Europa são ocupadas por mulheres.

            Segundo Carla Alessandra de Figueiredo Silva, gerente executiva de RH da Stefanini Brasil, a multinacional tem investido em iniciativas para preparar mais mulheres para novas funções de liderança. “Sabemos que é preciso ampliar a discussão e criar mecanismos reais para que a diversidade permeie as corporações, por meio de um movimento natural contínuo”, afirma a executiva, que está na Stefanini há 16 anos.

            De acordo com Carla Alessandra, o turnover feminino chega a ser metade do masculino nos últimos dois anos. Para Rodrigo Pádua, VP Global de Gente e Cultura, a mescla de gêneros está no DNA da Stefanini. “Buscamos o equilíbrio entre homens e mulheres, pois acreditamos que essa mescla é fundamental no processo de transformação digital. As pessoas analisam e solucionam problemas de uma forma diferente. Por isso, a importância de valorizar a pluralidade de pensamento”, afirma Rodrigo Pádua.

Compartilhe:
Veja mais sobre

Vamos cocriar, solicite uma proposta dos nossos especialistas