Entenda o que é um Ransomware e como se proteger dos ataques

27 de Janeiro de 2022 por Stefanini

Hoje, falaremos sobre uma das principais ameaças à segurança da informação. Afinal de contas, você sabe o que é um ransomware? O nosso objetivo é apresentar essa tática e demonstrar o que pode ser feito para proteger a sua gestão.

Para sanar todas as curiosidades, listamos e respondemos às principais dúvidas no tema. Aqui, você entenderá o que é um ransomware, qual a importância de estar atento a esses ataques e, ainda mais importante, como detectar, resolver e prevenir esse tipo de situação. Continue a leitura e saiba mais!

O que é ransomware?

A segurança da informação é uma das áreas mais curiosas, interessantes e vastas da ciência da computação. No mundo digital, existe uma série de ameaças com diferentes finalidades e funcionamentos que são capazes de minar não apenas a produtividade de um sistema, mas também a privacidade de suas informações.

O ransomware é uma das ameaças mais proeminentes da era moderna. Ransom é uma expressão inglesa que, em português, significa resgate. O nome deixa claro o objetivo do ataque. Basicamente, a ameaça se manifesta por meio de uma invasão que, em seguida, criptografa o banco de dados que está sob ataque.

Fazendo os dados de refém, o invasor solicita um resgate para a liberação dessas informações. Geralmente, essa situação se desenha da seguinte maneira:

1.      o invasor identifica um alvo vulnerável, como uma empresa que não usa soluções de cibersegurança;

2.     ele encontra um ponto de acesso ao servidor e implanta um arquivo malicioso — como o envio de um e-mail com um arquivo infectado ou através de uma invasão direta;

3.     dentro do servidor, o arquivo executa um script que criptografa todo o banco de dados da empresa; 

4.     para ter acesso aos arquivos, é preciso descriptografar, ou seja, inserir a senha que pode desfazer a situação;

5.     além de criptografar o banco de dados e imobilizar o sistema, o script também pode projetar a mensagem de resgate;

6.     na mensagem, o invasor apresenta suas condições para desfazer a situação, geralmente exigindo o pagamento por um meio irrastreável, como o envio de criptomoedas para determinada carteira.

Como dá para notar, a tática impressiona pela engenhosidade, pois toma como refém os dados operacionais de uma empresa. No Brasil, frigoríficos famosos foram vulnerabilizados repetidas vezes, trazendo a estratégia à tona e evidenciando a importância de investir e implementar melhores práticas de cibersegurança.

Além disso, vale notar que nem sempre o alvo são os bancos de dados. Muitas vezes, o ataque apenas imobiliza a operacionalidade de sistemas e aplicativos. Nesse caso, o resgate serve exclusivamente para tornar os sistemas operacionais novamente.

Qual a importância de estar atento a esses ataques?

Hoje, a maioria das atividades empresariais é digital. Controle contábil, jurídico, marketing, vendas, RH, enfim. Por isso, perder o acesso aos seus bancos de dados ou ainda às ferramentas que a sua gestão utiliza para trabalhar é efetivamente sofrer um prejuízo operacional, financeiro e produtivo.

É por conta disso que é tão importante investir em boas tendências de transformação digital e cibersegurança. Apenas assim é possível garantir a segurança dos seus dados e a conformidade com leis e marcos importantes da era moderna, como a LGPD.

É por essa razão que investir em cibersegurança é uma decisão que visa proteger a sustentabilidade operacional do negócio. Sem bons softwares de monitoramento, soluções de recuperação e boas práticas operacionais, não há como garantir a proteção plena dos seus servidores, dados e aplicações.

Como detectar, resolver e prevenir um ataque ransomware?

Essas três dúvidas são respondidas de maneira contundente: invista em cibersegurança. Isso vale tanto para a contratação de ferramentas que ajudem no monitoramento, como na admissão de profissionais com essa especialização. Agora, vamos para uma abordagem mais detalhada sobre cada pergunta.

Detectar

Considerando que você já tenha uma equipe de TI consolidada e boas ferramentas de monitoramento, existem alguns “sintomas” aos quais os colaboradores devem se atentar na detecção de um ataque.

O primeiro e mais evidente são os alerta do software antivírus. Em uma invasão proeminente, o programa identifica em tempo real que isso está acontecendo, principalmente se a tática computacional utilizada já estiver no banco de dados de detecções do seu software antivírus.

Em caso de detecção em tempo real, o programa notificará todos os usuários logados em uma máquina remota sobre o ataque, além de comunicar diretamente aos dispositivos dos profissionais de TI responsáveis por essa supervisão.

No entanto, em caso de uma invasão mais engenhosa, sofisticada e discreta, o ataque pode não ser identificado pelo software antivírus. Nesse caso, um sintoma comum e ainda aparente é o crescimento da atividade do CPU e do disco sem nenhuma boa razão.

Outro sintoma que deve acender um alerta são comunicações de rede suspeitas, com download e upload de pacotes que não são referentes à operação oriundos de máquinas e servidores remotos e estranhos à sua gestão. Basicamente, são sinais de anormalidade.

Resolver

A resolução é algo complicado de descrever, pois, ela depende invariavelmente do seu nível de preparo e precaução anterior ao ataque. Em empresas com estratégias de TI consolidadas, a reação ao ataque consiste inicialmente na identificação e na alienação dos sistemas afetados.

Em seguida, são identificadas e corrigidas as vulnerabilidades da rede. Depois, a restauração dos sistemas e de arquivos, que é possível apenas se você conta com uma boa solução de backup. Em seguida, a reconexão dos sistemas afetados ao servidor principal.

Prevenir

A prevenção é muito mais simples e dita tanto a probabilidade de sofrer um ataque como a chance de sucesso durante a reação. Aqui, é fundamental utilizar apenas softwares originais, contratar empresas e soluções de cibersegurança, implementar uma política de backup e por aí adiante.

O investimento em segurança digital é a melhor forma de se proteger de invasões. Mas, além disso, há um crescente cuidado com a engenharia social, métodos que buscam observar atentamente a rotina dos colaboradores e da empresa para encontrar vulnerabilidades e facilitar uma invasão.

Agora que você sabe o que é um ransomware e como isso prejudica sua operação, aproveite para proteger sua gestão e operacionalidade com quem entende do assunto. Para isso, acesse nosso portal e entre em contato!

Compartilhe:
Veja mais sobre ciberseguranca Ransomware

Vamos cocriar, solicite uma proposta dos nossos especialistas