Blockchain e segurança de dados: o que essa tecnologia pode fazer por sua empresa?

11 de Dezembro de 2018 por Stefanini

Você sabe qual é a relação entre blockchain e segurança da informação? Na indústria 4.0 e no mundo regido por dados, a combinação entre esses dois elementos tende a ser relevante. No entanto, o que ela realmente significa? Como tirar proveito dessa tecnologia?

Levando isso em conta, elaboramos este texto. Durante a leitura, você entenderá como o blockchain funciona e por quais motivos ele pode deixar as informações da sua empresa mais seguras. Aproveite o conteúdo!

O que é o blockchain e como funciona?

Quando pensamos em blockchain, rapidamente associamos o termo ao universo do bitcoin e das outras criptomoedas. Afinal, foi nesse contexto de transformação digital que a tecnologia surgiu e ganhou popularidade. 

Em poucas palavras, ele nada mais é do que uma cadeia de blocos em que cada bloco tem um dado específico e um código que se conecta ao bloco anterior. A partir disso, cria-se um encadeamento que protege as informações. 

Basicamente, funciona como um livro de registros em que apenas pessoas autorizadas podem inserir informações em tempo real. Para que essa inserção ocorra sem maiores problemas, uma forte criptografia é utilizada durante o processo. Isso faz com que os dados sejam validados por consenso, em vez de serem inseridos apenas por interesse de uma pessoa ou uma empresa em específico.

Além do mais, é perfeitamente possível rastrear a origem de qualquer bloco a partir da impressão digital de apenas uma das partes. Em suma, as informações podem ser certificadas e validadas com muita agilidade.

Qual é a relação entre blockchain e segurança da informação?

Agora você já sabe por quais motivos o blockchain é tão citado em organizações que têm uma cultura de inovação mais desenvolvida, não é mesmo? Porém, qual é a relação dele com a segurança da informação? Como esse encadeamento de dados pode deixar a sua empresa protegida?

Não é à toa que a cibersegurança é uma das vantagens que mais entusiasmam os adeptos ao blockchain. Afinal, além de viabilizar o rastreamento de informações, conforme explicamos no tópico anterior, ele também aposta na descentralização para armazenar dados com mais segurança do que outras tecnologias que conhecemos. 

Isso porque os blocos ficam "guardados" em milhares de computadores espalhados pelo mundo. Apesar de geograficamente distantes, eles estão interligados entre si. Em virtude do trabalho integrado que essas máquinas fazem, uma mudança realizada nos blocos só é aceita se todos os sistemas pertencentes à rede derem a permissão.

Portanto, se um computador for hackeado, os demais perceberão esse movimento e tentarão evitar o ataque. Consequentemente, dificulta a invasão de um sistema com essa tecnologia. 

Outro exemplo de como a digitalização da segurança é necessária: caso você encontre um conteúdo ameaçador ou calunioso sobre a sua empresa na web, é possível gerar um relatório com um “print” da página em questão e registrar que a mensagem estava pública em uma data específica. Essa funcionalidade é extremamente útil, porque ajuda a provar a existência da mensagem perante a Justiça. 

A assinatura de contratos é outra atividade beneficiada pela aplicação do blockchain. Como se trata de um registro frequentemente fraudado, a tecnologia pode certificar um documento, e, se qualquer alteração acontecer, será possível detectá-la. Ainda é possível se utilizar do encadeamento de blocos para navegar com mais segurança na internet, proteger senhas e assim por diante. 

Quais são os impactos do blockchain nas empresas e na vida das pessoas?

De forma gradativa, podemos notar os impactos do blockchain em diversos setores da sociedade. Aos poucos, ele tem provocado grandes mudanças, mas as principais delas estão relacionadas à segurança da informação. 

Uma das novidades mais empolgantes é a mudança ligada ao acesso a informações bancárias e financeiras. Atualmente, quando vamos à agência bancária ou entramos no app do banco, é necessário digitar usuário e senha para verificar dados da conta.

A expectativa é que, com a nova tecnologia, seja possível validar um dispositivo — celular ou computador — e saber com qual usuário esse dispositivo está linkado. Hoje em dia, essa verificação considera apenas o perfil dos usuários, gerando algumas brechas ligadas à segurança. 

A tendência é que os smartphones também se tornem aparelhos mais seguros por meio dos recursos associados ao blockchain. Na área da saúde, em especial no atendimento de hospitais e clínicas, os perfis dos pacientes, bem como seus prontuários e afins, serão protegidos por meio da ferramenta. 

O Walmart, maior varejista do mundo, também aderiu ao blockchain com o objetivo de melhorar a rastreabilidade dos produtos que vende. A ideia é coletar dados sobre a origem, segurança e autenticidade dos alimentos comercializados em suas lojas. Com isso, o consumidor final conhecerá melhor o insumo que está comprando: o local onde foi plantado, a data de colheita e o caminho percorrido para chegar à prateleira do supermercado.

Como se não bastasse, alguns países já estão testando a cadeia de blocos em períodos eleitorais. Nos EUA, em 2018, os militares da Virgínia Ocidental que estavam no exterior puderam votar pelo celular nas eleições do estado. Tudo isso graças à utilização de um aplicativo baseado no blockchain.

Quais são os principais desafios das empresas em relação à tecnologia?

Não chega a ser um segredo que recursos desse tipo podem automatizar processos e melhorar o desempenho geral de uma organização. Apesar disso, nem todas as empresas estão realmente adaptadas para aderir aos recursos que nasceram ao longo da era da informação. 

Atender ao consumidor multifacetado, por exemplo, não exige a utilização de todas as possibilidades trazidas pela comunicação omnichannel — vale mais a pena usar somente um canal com excelência. Seguindo nessa linha de raciocínio, é fundamental ter uma cultura que valorize as novas ferramentas. Afinal, de pouco adianta conduzir uma série de implementações e não ter colaboradores suficientemente preparados para utilizá-las da melhor maneira possível. 

Como pudemos notar, blockchain e segurança da informação são dois tópicos fortemente alinhados. A partir deles, é possível garantir que sua empresa operará mais protegida e em consonância com a transformação digital pela qual passamos. 

Se você gostou do texto, aproveite para entender um pouco mais sobre inteligência artificial!

Solicite uma proposta dos nossos especialistas

Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível. Ao continuar a navegar no site, você concorda com esse uso. Para mais informações sobre como usamos cookies, veja nossasPoliticas de Privacidade.