Inteligência Artificial: o guia completo sobre o assunto

22 de Outubro de 2018 por Stefanini

Os questionamentos sobre a Inteligência Artificial (IA) são diversos. Afinal, a tecnologia está cada vez mais presente nas tarefas do dia a dia e nem sempre nos damos conta disso, não é mesmo?

As ferramentas de IA também costumam ser representadas no cinema por robôs que substituem o trabalho humano, em situações em que nem sempre a relação entre máquina e homem é harmoniosa.

Tudo isso ajuda a confundir o nosso conhecimento a respeito do tema. Pensando nisso, preparamos um guia completo sobre o assunto. Confira nesse post tudo o que você precisa saber sobre Inteligência Artificial!

O que é Inteligência Artificial?

Até algum tempo atrás, a Inteligência Artificial era considerada uma matéria digna dos filmes de ficção científica. Hoje em dia, no entanto, ela já está presente nos nossos celulares, carros e casas — e nas empresas também, por que não? Tenha em mente que a implementação da tecnologia de IA no mundo corporativo é muito mais que utilizar robôs como automação nas linhas de produção.

Inteligência Artificial tem como base a capacidade do software de fazer tarefas de forma automatizada. Dessa maneira, as tecnologias de IA utilizam algoritmos e uma grande base de dados para identificar padrões de comportamento e realizar funções que poderiam ser feitas por humanos.

Em poucas palavras, Inteligência Artificial se refere à capacidade das máquinas de reproduzir o comportamento humano de pensamento, imitando o funcionamento do cérebro — é por isso que foi batizada com esse nome. Ela também abrange a habilidade de adaptação às experiências e às mudanças de hábitos por meio da análise computacional.

Sob a perspectiva pragmática, ela nada mais é do que um ramo da Ciência da Computação, cuja proposta central é elaborar dispositivos que simulam o raciocínio humano para resolver problemas e tomar decisões.

Ela foi impulsionada com o desenvolvimento acelerado da informática na transição para o novo milênio. Com isso, diversos elementos foram agregados à IA, deixando-o ainda mais complexa.

Como a Inteligência Artificial funciona?

De modo bastante resumido, os algoritmos de IA utilizam a sua base de dados para avaliar o contexto e, assim, tomar decisões para alcançar determinado objetivo. Eles conseguem identificar padrões para executar da melhor forma possível as operações solicitadas.

As informações coletadas formam a base de dados disponíveis para que a tecnologia de IA as processe e as transforme em dados estruturados e relevantes para o contexto da solução em questão. Por isso, ela tem a capacidade de tomar decisões específicas de maneira mais rápida.

Ao combinar dados com processamento interativo e algoritmos inteligentes, softwares aprendem padrões automaticamente. Uma residência automatizada que pode ser programada para algumas ações exemplifica isso muito bem. Vale ressaltar que a IA é um campo amplo, que reúne diversas teorias, métodos e tecnologias, como veremos adiante neste conteúdo.

Quais tecnologias oferecem suporte à IA?

É necessário destacar algumas das tecnologias e ferramentas que possibilitam a IA por meio de um suporte específico. A Internet das Coisas é exemplar nesse sentido, porque gera quantidades enormes de dados a partir de aparelhos conectados — um smartphone pode se ligar a uma geladeira para escolher a temperatura, por exemplo.

Os APIs, por sua vez, são pacotes portáteis de códigos. Eles viabilizam a adição de funcionalidades de IA a softwares produtos existentes. Podem adicionar a habilidade de reconhecer imagens em sistemas de segurança doméstica. Eles também permitem a criação de perguntas e respostas que chamam atenção para padrões interessantes — organizações que fazem um uso aprofundado de dados têm muito a se beneficiar desse tipo de recurso.

Os algoritmos, que serão citados algumas vezes neste texto, estão cada vez mais avançados. Agora, ele visam a novas maneiras de análise em múltiplos níveis. Além de viabilizarem um melhor aproveitamento dos dados, eles são úteis na prevenção de erros e na interpretação de sistemas complexos.

Como surgiu a Inteligência Artificial?

Embora seus impactos tenham se tornado populares somente nas últimas décadas, a existência da Inteligência Artificial já tem uma longa história. Acredite: ela é bem mais antiga do que você pode imaginar!

O termo Inteligência Artificial apareceu pela primeira vez em 1956 — em um evento que ficou conhecido como Conferência de Dartmouth —, por mais que os estudos responsáveis por originá-lo já tivessem alguns anos de existência. O professor John McCarthy, da Universidade Stanford, foi quem se notabilizou por elaborar tal título. As pesquisas iniciais lidavam com métodos simbólicos e a resolução de problemas simples.

A partir disso, os participantes do congresso e outros pesquisadores voltaram suas atenções ao tema. Não por acaso, órgãos governamentais e privados passaram a investir de forma significativa na área, uma vez que enxergavam nela grande potencial — a indústria bélica, principalmente, porque a Segunda Guerra Mundial havia acabado há pouco tempo e a Guerra Fria mostrava seus primeiros indícios.

Em 1957, foi desenvolvido o algoritmo chamado perceptron, uma rede neural capaz de classificar resultados. Um ano depois, surgiu a linguagem de programação Lisp, que até hoje funciona como uma fonte de inspiração para outras ferramentas do gênero. Eis que o conceito de Machine Learning apareceu em 1959 para designar computadores com a capacidade de aprender uma função sem serem programados de forma específica para determinada finalidade.

Durante a década de 1960, houve uma experiência pioneira com a ideia que hoje reconhecemos como chatbot. O nome do robô era ELIZA e ele podia conversar de forma humanizada, simulando uma psicanalista, que respondia por meio de palavras-chave e estruturas sintáticas. Em 1969, ocorreu a demonstração do Shakey, primeiro robô que conseguia falar, andar e agir com autonomia, apesar de apresentar várias falhas.

Nos anos 80, o Japão liderou as pesquisas nesse âmbito, devido ao investimento robusto que o país fez em produção tecnológica — o grande objetivo era desenvolver microprocessadores. Durante a segunda metade da década de 1990, importantes conquistas aconteceram, graças ao boom da internet comercial. Sistemas de navegação e indexação, como o Google, precisavam da IA para funcionar. Desde então, os estudos se aprofundaram ainda mais.

Houve Inteligência Artificial na Antiguidade?

A resposta para essa pergunta é menos óbvia do que parece. De acordo com João Fernando Marar — professor doutor de Inteligência Artificial na Universidade Estadual Paulista (Unesp) —, em entrevista concedida ao Tecnoblog, a ideia de uma inteligência que não fosse humana já existia no ano 300 a.C.

É evidente que, nessa época, não existiam sistemas robustos, capazes de responder comandos complexos e executar tarefas. No entanto, filósofos gregos como Aristóteles e Platão refletiam sobre como livrar escravos de seus afazeres: uma das soluções para o dilema consistia em ações que não dependessem do pensamento e da força física de homens e mulheres para funcionar.

Segundo os apontamentos feitos pelo especialista, pensadores da Antiguidade podem ser tratados como precursores da robótica e da Inteligência Artificial, uma vez que se questionavam se objetos poderiam ter vontade própria, por exemplo. É fato que as implicações práticas desse raciocínio demoraram séculos para vir à tona, mas o "esqueleto" da ideia fora esboçado há muito tempo.

O especialista vai mais adiante e aponta a Inteligência Artificial como portadora de uma "grande capilaridade", tendo em vista que ela se manifesta em incontáveis âmbitos e pode ser aplicada de quase todos os setores da sociedade.

Agora que você já conhece os primórdios da IA, seu funcionamento e o resumo de suas principais funcionalidades, é hora de entender a importância que ela tem em nosso dia a dia. No próximo tópico, falaremos sobre isso — continue lendo para saber mais!

Qual a importância da IA?

A aplicação das tecnologias que se valem da Inteligência Artificial é fundamental por automatizar processos. Isso que dizer que muitas tarefas são executadas com rapidez e simplicidade, permitindo que os colaboradores de uma empresa direcionem a produtividade às atividades complexas — sem as demandas operacionais, o foco é destinado às questões analíticas.

Como se não bastasse, ela é um importante indicativo do tempo histórico no qual vivemos. Quando o homem inventou a roda, transformações sociais foram originadas em virtude da descoberta. Em relação à IA, pode-se registrar um efeito semelhante, na medida em que ela muda a forma como as relações humanas se dão no trabalho, na vida pessoal e assim por diante.

Listamos, a seguir, alguns dos principais ganhos obtidos ao implementar a IA em uma empresa e também no dia a dia. Eles indicam, de modo resumido, a importância que ela tem atualmente. Acompanhe!

Aumentar a automação

Como pode ser implementada em diferentes práticas — classificação de itens, entrega de produtos, direção de veículos e muito mais — empresas de qualquer setor de atuação conseguirão aumentar a qualidade de seus serviços.

Imagine um banco que consegue abrir contas por um aplicativo com o auxílio da automação. Além de deixar os colaboradores livres para exercerem outras tarefas, a organização conseguirá reduzir a burocracia, gerando valor para os clientes, que querem economizar tempo.

Reduzir custos operacionais

No ambiente corporativo, as tecnologias de Inteligência Artificial ajudam a tomar decisões complexas com rapidez, reduzindo erros no processo, aumentando a produtividade e eliminando custos operacionais.

Afinal, por que registrar assinaturas em papel, se isso pode ser realizado em um ambiente virtual, com toda segurança? É necessário contratar um funcionário para executar a função que uma máquina pode fazer de maneira extremamente precisa? Esse profissional pode ser aproveitado para realizar tarefas que necessitam de seu intelecto.

Ter praticidade no dia a dia

A integração das tecnologias de IA com ferramentas utilizadas no cotidiano facilita atividades rotineiras, como o uso dos assistentes virtuais presentes em smartphones.

Ao dirigir, é possível pesquisar a melhor rota sem precisar tirar as mãos do volante e/ou se distrair com a tela do aparelho. Você também pode encontrar boas recomendações de músicas e filmes em seus serviços de streaming sem muito esforço — basta dar uma chance às sugestões feitas pelas plataformas.

É difícil prever até que ponto as aplicações de Inteligência Artificial serão introduzidas em nosso cotidiano. As tecnologias com base nela estão em constante evolução — porém, os estudos desenvolvidos ainda estão em fase inicial.

Isso significa que ainda tem muita novidade por vir e que o potencial dessa área ainda não foi totalmente explorado. Mais do que ser relevante para a vida pessoal e para os negócios na atualidade, ela tem muito a relevar sobre o nosso futuro, seja para fechar grandes vendas, seja para ligar as luzes de casa a distância.

Quais são os principais conceitos da IA?

Para entender melhor sobre Inteligência Artificial, é preciso entender alguns conceitos. Separamos para você os principais. Vamos conhecer?

Algoritmos

Algoritmos são instruções que os computadores devem seguir, como um passo a passo. Os programadores responsáveis pelas tecnologias de IA desenvolvem os algoritmos para a máquina analisar os dados, identificar os problemas e utilizar os resultados das tentativas como base para aprender.

Deep Learning

O sistema de Deep Learning é baseado nas redes neurais humanas. O modelo é estruturado em camadas conectadas que vão passando a informação para a camada subsequente e, dessa forma, por ter uma quantidade maior de “neurônios” trabalhando juntos, consegue resolver problemas complexos mais rápido.

Reconhecimento de padrões

O reconhecimento de padrões é desenvolvido para a IA analisar e categorizar uma quantidade de dados disponível. Essa busca por padrões pode acontecer de forma supervisionada, em que a IA já sabe o padrão que deve procurar no banco de dados, ou não supervisionada, em que ela procura por novos padrões.

Processamento de linguagem natural

O processamento de linguagem natural (PNL) permite que o sistema entenda a linguagem humana. O computador precisa compreender regras gramaticais e de sintaxe, sotaque, coloquialismo, entre outros pontos. Essa enorme quantidade de informações é transformada em dados e, então, as tarefas são executadas.

Machine Learning

Este é um dos grupos de algoritmos de IA em que a máquina otimiza o próprio algoritmo. Isso significa que o computador é capaz de desenvolver o seu aprendizado sem ter sido programado especificamente para aquilo. A aplicação de Machine Learning pode ser encontrada em aplicativos do nosso cotidiano, veja alguns exemplos:

  • indicar filmes e seriados em plataformas digitais, como Netflix;
  • identificar o trajeto de trânsito com menor tráfego, como Waze;
  • sugerir produtos similares ao que você está pesquisando em e-commerces;
  • identificar textos em imagens.

futuro da Inteligência Artificial está bastante ligado a esse recurso. A tendência é que as interações com os usuários sejam mais próximas por meio de um alto grau de personalização.

cibersegurança também será beneficiada: servidores de e-mail e fornecedores de antivírus vêm aprimorando seus sistemas para que eles consigam detectar ameaças frequentes com maior facilidade.

Visão computacional

A visão computacional é uma tecnologia que busca identificar objetos através de uma lente de câmera da mesma forma que uma pessoa enxerga. A IA diferencia as cores, os pixels são convertidos em dados e valores numéricos e ela busca padrões parecidos para identificar o objeto visualizado.

Um bom exemplo é o iPhone X, em que o seu sistema atualiza o rosto da pessoa, adaptando-se às pequenas mudanças, como barba feita ou um corte de cabelo novo.

Robótica

Os robôs são utilizados em linhas de produção para desempenhar funções com rapidez, agilidade e eficiência. Apesar de serem programados para realizar as funções solicitadas, geralmente, o robô não tem nenhum sistema de IA instalado e, por isso, não faz parte de uma estrutura maior de transformação digital. Entretanto, nada impede que a tecnologia de IA seja utilizada em conjunto com a estrutura robótica.

Sistema especialista

O sistema especialista é capaz de imitar o comportamento humano em determinada função. Ele utiliza a base de conhecimento sobre o assunto em questão para, então, aplicar as regras e dados a fim de produzir novas informações. O sistema especialista é utilizado quando a tarefa exige um conhecimento complexo, como dirigir um carro.

Existem mitos sobre a Inteligência Artificia?

Por ser recente, inúmeros mitos surgem com o crescimento da IA. Separamos e explicamos os mais comuns. Acompanhe para resolver suas dúvidas!

Os empregos vão desaparecer?

Enquanto alguns empregos vão desaparecer, outros surgirão — e isso não é ruim! O relatório Futuro do Trabalho, desenvolvido pelo Fórum Econômico Mundial, estima que 65% das crianças entrando no período escolar vão desempenhar funções que hoje ainda não existem no mercado.

Muitas tarefas podem ser realizadas com segurança com a ajuda de uma IA. Por exemplo: os relatórios de uma empresa podem ser mais detalhados e feitos em menos tempo ao se utilizar a tecnologia.

Isso não significa, entretanto, que todas as pessoas vão perder seus empregos por causa das máquinas. Alguém terá o trabalho de ler os relatórios e tomar as decisões estratégicas pertinentes ao negócio, certo? Ao utilizar a IA, o gestor terá mais tempo para procurar ideias e soluções.

Sendo assim, a tecnologia deve ser vista como um agente transformador da maneira com que nos relacionamos com os nossos empregos e funções.

Os computadores serão melhores que os humanos?

Talvez esse seja o mito mais disseminado, principalmente por existirem tantos filmes sobre ficção científica que abordam o tema. Os computadores, de fato, podem fazer determinadas tarefas mais rápido que uma pessoa ou até mesmo guardar mais informações.

As Inteligências Artificiais desenvolvidas para uma única finalidade, como jogar xadrez, realmente têm um desempenho bem superior ao humano — mas vale ressaltar que é somente na tarefa para a qual elas foram programadas para desempenhar.

No futuro, pode ser viável que uma máquina com IA consiga desenvolver todas as atividades que um ser humano consegue fazer com o mesmo grau de conhecimento. No entanto, ainda assim será necessário que um programador desenvolva esse programa.

Somente profissionais de TI trabalham com Inteligência Artificial?

Não! Muitos mercados estão se adaptando à IA para oferecer serviços personalizados para os seus consumidores. As aplicações de Inteligência Artificial são diversas: ela pode ser utilizada no setor de saúde, na área jurídica, nas indústrias, na agricultura e em muitos outros campos.

Inclusive, no processo de implementação de inovações em uma empresa é necessário que toda a equipe esteja engajada e ciente das novas mudanças. Não faz sentido apenas um setor ser responsável por mudanças em uma empresa inteira.

Veremos, nos próximos tópicos, um pouco mais sobre as aplicações da IA no cotidiano dos profissionais.

Quais são os exemplos de Inteligência Artificial no dia a dia?

Não é exagero nenhum dizer que a presença da Inteligência Artificial nos setores da economia é apenas um pequeno demonstrativo de como ela contempla possibilidades infinitas de aplicação.

Veja, logo abaixo, alguns exemplos de sua utilização em nosso dia a dia, em casa ou no trabalho!

Google

Como era de se esperar, uma das maiores companhias do mundo no século teve seu crescimento totalmente atrelado ao uso da IA.

O Google é um mecanismo de buscas que utiliza diversas ferramentas de Inteligência Artificial para melhorar a experiência do usuário. A caixa de seleção de palavras-chaves, por exemplo, é personalizada de acordo com a interação que o usuário tem com ela e também com as buscas que faz enquanto está logado.

Outros exemplos de Inteligência Artificial utilizados pela empresa.

  • Google Fotos: o Google tem uma função que identifica as imagens da sua biblioteca e sugere novas imagens parecidas, certo? Nesse caso, a IA é capaz de identificá-las e, por mais que essa capacidade seja tão comum ao ser humano, uma máquina poder enxergar quase da mesma forma que nós conseguimos é um grande avanço;
  • Google Play Música: essa ferramenta oferece recomendações com base nos padrões dos usuários. Ela pode indicar, por exemplo, músicas mais tranquilas para dormir e mais agitadas para uma festa;
  • legendas do YouTube: as legendas automáticas nos vídeos são formuladas por algoritmos que conseguem transcrever as falas de 10 idiomas diferentes;
  • respostas de e-mail: as respostas inteligentes do Gmail são um recurso oferecido aos usuários em que a tecnologia sugere 3 respostas que são enviadas imediatamente em apenas um clique;
  • tradução: além de fornecer o serviço de tradutor de palavras, também é possível traduzir os textos de placas e imagens.

Carros inteligentes

Estima-se que, até 2025, essa tecnologia já estará disponível para a população. Os carros inteligentes contam com um sistema capaz de identificar os padrões de comportamento de seu dono e, assim, oferecer os serviços personalizados, como ajuste de temperatura, posição dos espelhos retrovisores, entre outros.

O sistema de IA dos carros inteligentes será responsável por verificar troca de óleo, pneus e outros itens mecânicos que precisam de manutenção.

Além das funcionalidades citadas, o maior avanço dos carros inteligentes é a capacidade de dirigirem sozinhos. Empresas como a Tesla e o Google já têm modelos autônomos que conseguem passear em um trânsito normal, sem a interferência de uma pessoa.

Entretanto, as legislações da maioria dos países ainda não liberam que um carro autônomo ande sozinho. Por isso, no lugar do motorista fica uma pessoa para acompanhar o trajeto — mas ela apenas acompanha a viagem, não ficando responsável pelo controle do volante nem dos pedais.

Reconhecimento facial

Essa é uma das aplicações de IA responsável por identificar rostos. As aplicações para essa técnica são variadas. O reconhecimento facial já é utilizado por lojistas para validar a identidade do consumidor com o registro facial.

Além de reconhecer rostos, também pode ser utilizado para identificar expressões faciais. Uma das aplicações é analisar como as pessoas reagem ao ver determinados conteúdos publicitários.

As tecnologias de reconhecimento facial podem ser aplicadas de diferentes maneiras. Entretanto, existe a preocupação da sociedade sobre os direitos de privacidade das informações coletadas.

Smartphone

Uma das aplicações de IA mais comuns de ser observada é nos smartphones. Os dispositivos móveis são equipados com assistentes virtuais, como a Siri, da Apple, ou o Google Voice.

Os assistentes virtuais são capazes de processar a fala humana e realizar diversas tarefas, como marcar um compromisso na agenda, acionar um alarme despertador, fazer uma ligação ou pesquisa — tudo isso apenas por meio de comando da voz.

Além de ter capacidade de fazer todas essas tarefas, os assistentes virtuais são aprimorados para identificar padrões de comportamento do usuário e oferecer os seus serviços de forma cada vez mais personalizada.

Mercado financeiro

No mercado financeiro, cada segundo é importante para aproveitar as melhores oportunidades. O sistema de IA aplicado ao setor consegue prever movimentos de ações de forma bem mais rápida que um analista humano conseguiria.

Desde a década de 1980, tínhamos robôs traders, mas ultimamente a Inteligência Artificial tem tomado espaço nesse ramo. Ela é capaz de manipular negociações de compra e venda apenas se baseando nos dados fornecidos no mercado.

O principal benefício de utilizar tecnologias de IA é a certeza das estratégias dos robôs, que agem de acordo com a lógica, a segurança e a precisão. Por não terem sentimentos comuns às pessoas envolvidas na tomada de decisões, elas são realizadas com menos interferência emocional e melhor gestão de risco.

Segurança de dados

Na internet, muitos dados são trocados a todo momento. Nesse cenário, a tecnologia de IA pode ser utilizada para aumentar a segurança dos negócios digitais. Dispositivos, por sua vez, são programados para detectar ameaças sozinhos, ajudando a proteger a propriedade intelectual.

As tecnologias de Inteligência Artificial analisam os cenários e, diante de um possível ataque ou fraude, reagem da maneira que for mais conveniente para proteger os sistemas.

Educação

A educação precisa se renovar para oferecer aos alunos conteúdos ainda melhores. Ao longo dos anos, a educação a distância (EAD) cresceu bastante por oferecer horários flexíveis e conforto aos estudantes que não conseguem estudar nos cursos presenciais. O acesso também serviu para atender aqueles que moram longe dos grandes centros e não tinham contato com ofertas variadas de ensino.

Agora, a modalidade EAD ganha mais uma inovação, que é a aplicação de Inteligência Artificial na educação. As tecnologias de IA fazem o papel do professor em tempo integral, acompanhando o rendimento do aluno com base no histórico dele.

Além de ter a facilidade na flexibilidade dos horários, a IA é preparada por professores para solucionar as dúvidas do aluno. Se uma pergunta nova é feita e o robô não consegue responder, o educador responde e ela entra na base de dados. Assim, o próximo estudante com a mesma dúvida será prontamente respondido pela máquina.

Quais são os principais desafios da Inteligência Artificial?

As empresas podem se deparar com dificuldades em executar estratégias de implementação de Inteligência Artificial. As restrições orçamentárias são um dos fatores que podem interferir nesse processo. Infelizmente, nem todas as tecnologias de IA são acessíveis.

A privacidade dos clientes também deve estar em pauta na definição de estratégias de implementação de Inteligência Artificial. Os dados precisam ser protegidos com segurança — afinal, diante de um possível ataque cibernético, as informações podem ser perdidas e ocasionar prejuízos e falta de confiança no sistema.

Por mais que a IA seja desenvolvida com o intuito de aproximar o seu raciocínio ao de um ser humano, ainda não tem o senso comum de uma pessoa. Ela se aproxima do pensamento humano, mas pode acontecer confusões de interpretação de palavras e contexto. Espera-se que no futuro esses tipos problemas de comunicação sejam solucionados.

Outro desafio pertinente a esse assunto é a falta de critério para a implementação. Geralmente, a utilização de ferramentas de IA está aliada a uma estratégia maior de transformação digital em uma empresa. Então, é importante determinar os objetivos e metas a serem alcançados.

Como utilizar a Inteligência Artificial na sua empresa?

Cada vez mais, a IA vem ganhando espaço nos ambientes corporativos. As tecnologias de Inteligência Artificialgeram impactos positivos na produtividade, na automatização de processos e na digitalização. Esses aspectos são responsáveis por manter uma empresa competitiva e alinhada às novas tendências de mercado. Abaixo, estão algumas maneiras de inserir a IA na sua empresa. Confira!

Melhorar a experiência do consumidor

O atendimento ao consumidor é um complemento à venda do produto, sendo capaz de fidelizar ou perder um cliente. As empresas se preocupam em oferecer um atendimento de qualidade — e utilizando as tecnologias de IA, é possível que ele seja rápido, personalizado, eficiente e talvez até em tempo integral.

Um exemplo é a utilização de chatbots, dispositivos que conseguem conversar com as pessoas e solucionar problemas sem a intermediação de outra pessoa. Estratégias de Marketing Digital, como o Inbound Marketing, também utilizam ferramentas capazes de analisar o comportamento do consumidor dentro do funil de vendas e melhorar a experiência dele.

Automatizar tarefas

A automação de tarefas e processos é uma das aplicações de IA nas empresas. Ela é capaz de substituir o trabalho manual por sistemas inteligentes, que desempenham as atividades em menos tempo e com maior eficiência.

Dessa maneira, o profissional tem mais tempo disponível para resolver questões estratégicas, e a equipe pode procurar por capacitações. Às vezes, algumas tarefas exigem muito tempo e dedicação de um colaborador. Nesse cenário, a automatização ajudará o negócio a ser rentável e mais produtivo.

Analisar performance

Além de ser eficiente na área de automação de processos e melhoria na experiência do consumidor, as tecnologias de IA podem ser utilizadas para analisar a performance dos colaboradores.

As informações coletadas sobre produtividade da equipe devem ser utilizadas pelos gestores com a finalidade de melhorar a qualidade do serviço prestado e adotar práticas melhores dentro das empresas.

Gerir os recursos humanos

O setor de recursos humanos é necessário em quase toda empresa. Quanto maior um negócio, maior o número de funcionários e a quantidade de informações sobre os colaboradores que devem ser analisadas pelo setor de RH.

A utilização de IA no setor de RH facilita a comunicação entre os setores da empresa, identificando padrões e permitindo que as avaliações de desempenho sejam detalhadas. Logo, o grande número de dados pode ser gerido com certeza e eficiência.

As empresas se beneficiam da Inteligência Artificial?

Um longo caminho ainda será percorrido para que as tecnologias de Inteligência Artificial cheguem à sua capacidade máxima. As mudanças ocorrem de maneira rápida e, por isso, devemos estar atentos para trazer as mais relevantes para o nosso cotidiano, dentro de casa e nas empresas.

De qualquer modo, é inegável que essas ferramentas trazem vantagens significativas para as rotinas de qualquer organização. Por serem versáteis e adaptáveis, elas podem ser úteis em diferentes sentidos, otimizando uma série de processos e contribuindo para a evolução do desempenho financeiro como um todo.

Contudo, é preciso relembrar que, por mais apaixonante que seja o tema, a IA é apenas um meio e não uma finalidade. Quando aplicada sozinha e sem estratégia, é difícil que ela proporcione competitividade para a empresa. Por isso, antes de dar os primeiros passos, é preciso definir o caminho a ser percorrido dentro da jornada de transformação digital. Tudo será mais suave e lucrativo se as primeiras decisões forem tomadas de maneira certeira.

Na maioria das empresas, a primeira decisão é escolher o parceiro correto para implementar as inovações que o mercado oferece. Afinal, especialistas têm conhecimento técnico para oferecer soluções específicas, que se encaixam às necessidades de seu negócio.

Outro aspecto que deve ser ressaltado é o da transformação cultural. Nenhuma empresa migra do analógico para o digital sem que haja uma quebra de paradigma, capaz de alterar o jeito de pensar a gestão e executar as rotinas empresariais. É compreensível que alguns colaboradores ofereçam resistência às modificações, mas a evolução de pouco adianta na ausência da mudança de mentalidade.

Operar com tecnologias associadas à IA é bem menos efetivo sem a conscientização dos colaboradores. Portanto, cabe às lideranças a missão de adaptar a cultura organizacional para que novos sistemas e métodos sejam aceitos e, mais do que isso, utilizados de modo coerente com as metas da companhia.

Quais as principais vantagens de investir nessa tecnologia?

Até aqui, notamos que o investimento em IA tende a ser proveitoso para setores de RH, bancos, escolas, fábricas etc. Neste tópico, comentaremos com profundidade a respeito das maiores vantagens que ela proporciona quando é aplicada com o devido planejamento estratégico. Acompanhe, a seguir, quais são elas e entenda como podem ajudar o seu negócio.

Ajuda a gerir o setor de Recursos Humanos

A relevância desse departamento nas organizações vem crescendo exponencialmente ao longo dos anos. Afinal, a percepção de que os principais ativos de uma organização são as pessoas ganhou espaço entre os líderes.

Como lida com uma matéria delicada, esse setor enfrenta dificuldades quando é necessário organizar seus processos e encontrar meios para melhorar a comunicação internar ou conduzir um recrutamento com efetividade.

Paralelamente a isso, também há uma oferta crescente de sistemas para RH. Contudo, eles nem sempre estão integrados aos recursos mais avançados da IA, que poderiam colaborar para o agendamento de férias e consultas dos benefícios disponíveis, por exemplo.

O atendimento personalizado para cada colaborador e o gerenciamento automatizado de informações também são viabilizados por boas práticas associadas à Inteligência Artificial. Outros benefícios notáveis são:

  • aprimora as estratégias de retenção;
  • diminui a rotatividade de funcionários;
  • facilita a elaboração de feedbacks detalhados;
  • melhora o engajamento e a produtividade.

Aumenta a capacidade produtiva

Engana-se quem acredita que a IA serve apenas para aperfeiçoar funções desempenhadas por computadores ou fazer com que eles simulem nossas atividades. Graças à computação cognitiva, um dos muitos tipos de aplicação da Inteligência Artificial, o trabalho humano pode se tornar mais produtivo.

Em linhas gerais, a computação cognitiva funciona como um conjunto de algoritmos — eles cruzam dados e tentam imitar o cérebro, bem como os padrões de autoaprendizagem que ele tem. Dados levantados pela IDC(International Data Corporation) mostram que, em 2019, 40% das empresas com iniciativas de transformação digital utilizarão essa tecnologia em suas estratégias.

Por meio delas, volume densos de informações e processamentos complexos são otimizados. Ela serve para executar tarefas em diferentes mídias: não há limitações geográficas, e o acesso pode ser feito em um smartphone ou em um tablet.

Ela também se associa à implementação de sensores externos, uma das tendências mais fortes no campo da Internet das Coisas. Eles se conectam a diversos tipos de objetos e equipamentos, basicamente, gerando relatórios precisos a respeito do funcionamento de cada um deles.

Sistemas cognitivos são indicados porque facilitam procedimentos nos quais a automação se faz necessária — tarefas repetitivas ilustram esse ponto. Em um setor de TI, por exemplo, o RPA (Robotic Process Automation) pode preparar o ambiente de trabalho automaticamente. Assim, o profissional responsável pode iniciar suas atividades com rapidez.

Permite a análise preditiva

análise preditiva está longe de ser uma prática nova no mundo dos negócios. Apesar disso, as formas de fazê-la foram significativamente alteradas por conta das conquistas proporcionadas pela IA. Em suma, ela ajuda a identificar a probabilidade de resultados futuros. As estimativas são embasadas em estatísticas e variadas técnicas de Machine Learning.

No varejo, por exemplo, é viável estabelecer quantas peças serão necessárias para repor o estoque e suprir a demanda por meio do comportamento dos clientes nos meses anteriores. Há como ir além e compreender se determinada promoção alterou o hábito de compra, se ela ajudou a fazer vendas combinadas e como ela pode ser replicada nos próximos anos.

Por meio de padrões identificados nos dados, é possível avaliar as mudanças do mercado. Para isso, pode-se operar com um modelo preditivo, que fornece uma previsão sobre um problema — a partir disso, soluções são desenvolvidas para lidar com essa eventualidade.

Imagine que, antes de ir para o trabalho, você confere a previsão do tempo para a sua cidade e nota que há uma grande chance de chover e/ou esfriar. Sabendo disso, resolve levar consigo um casaco e um guarda-chuva. Por mais que as probabilidades não se confirmem, elaborou-se uma decisão fundamentada para amenizar os efeitos de uma crise (frio e/ou chuva).

Aprimora o atendimento ao cliente

Pense bem nos serviços que você consome atualmente. Se tiver qualquer problema com algum deles, como gostaria de receber o atendimento da empresa responsável? Por telefone, esperando bastante e precisando explicar sua situação para vários atendentes, ou por um aplicativo, de forma rápida e intuitiva? Se você escolheu a segunda alternativa, seus hábitos de consumo se assemelham aos de grande parte da população.

A presença massiva dos chatbots em diversos segmentos demonstra como a IA transformou o atendimento ao cliente. Além de aprenderem ao longo do tempo, com os atendimentos prestados, esses robôs encontram soluções rápidas para perguntas frequentes e podem atender de modo personalizado, detectando preferências dos usuários.

A forma de fechar negócios também mudou — seus clientes não esperarão que você esteja disponível em um canal. É preciso ser omnichannel, isto é, marcar presença em todos os meios de atendimento possíveis: mídias sociais, telefones, e-mail, chats dentro do site da empresa e por aí vai.

Contudo, se não há uma tecnologia para integrar esses atendimentos, não basta ter perfis nas redes e um número disponível para receber ligações. A partir desse tipo de ferramenta, vale a pena montar um banco de dados para analisar o perfil de quem compra e quer comprar com você — a IA é uma espécie de ponte para alcançar essa finalidade.

Auxilia o setor de TI

Independentemente do ramo de atuação, o setor de Tecnologia da Informação é fundamental para garantir que os sistemas e processos de uma empresa permaneçam em pleno funcionamento.

Conhecidos por uma responsabilidade cada vez maior nas organizações, os profissionais desse departamento podem se beneficiar das tecnologias com suporte à Inteligência Artificial. Inúmeras atribuições que ficam a cargo desses colaboradores serão repassadas às máquinas, que poderão acelerar a produção e diminuir o número de erros cometidos.

Como explicamos no tópico sobre os mitos da IA, funcionários não serão completamente substituídos, porque a inteligência humana é imprescindível por variados motivos. Ainda assim, é preciso destacar que a segurança dos dados críticos da organização, por exemplo, não será mais feita de forma manual.

Em virtude da análise comportamental viabilizada pela computação cognitiva, o próprio sistema conseguirá identificar tentativas de invasões com autonomia. De forma automatizada, bloqueios serão criados para dificultar o acesso às informações confidenciais.

Portanto, não será mais necessário designar um colaborador para fazer varreduras frequentes nos servidores e redes da empresa — a condução dessa tarefa caberá a softwares autogerenciáveis, que encontrarão bugs e falhas sozinhos.

Como esses recursos ajudam na tomada de decisões?

Nos tópicos deste post, você encontrou informações sobre diversos tópicos ligados à Inteligência Artificial. Ainda assim, é preciso encontrar a resposta para uma das dúvidas mais importantes: como ela ajuda tomar decisões?

Se processos automatizados são a chave para melhorar o desempenho de seus times, o uso correto dos dados tende a ser o instrumento ideal para tomar decisões embasadas. Tanto a análise preditiva quanto o Big Data podem causar confusões em quem não está habituado a utilizá-los. Para quem os conhece, são poderosas fontes de vantagem competitiva.

As inovações atreladas ao Business Intelligence (BI) passaram a fornecer informações inteligentes para que gestores decidissem os rumos do negócio. Apesar disso, elas dependem de uma mente humana para interpretar os números obtidos, convertê-los em opções de ações estratégicas, gráficos, índices e afins.

Nesses sistemas, cada vez que uma nova análise precisa ser feita, há um custo com TI. Como a IA atua como um algoritmo inteligente que usa as experiências passadas para aprender padrões, ela pode construir padrões sem o auxílio humano, reduzindo os gastos.

Com o avanço da IA, espera-se que os computadores consigam entregar essas análises com maior agilidade, sem que um colaborador precise avaliá-las antes de enviar às lideranças. Ou seja, mais do que a possibilidade de fazer boas escolhas, ela promete a chance de fazê-las antes que outros players tenham o mesmo insight, gerando o tão procurado diferencial competitivo.

Por onde começar com a Inteligência Artificial?

Além de promover as mudanças de cultura organizacional necessárias, é recomendado procurar um suporte especializado para auxiliar na condução da transformação digital.

Uma boa alternativa é a implementação de um sistema inteligente, capaz de melhorar a comunicação interna e o atendimento prestado aos clientes de sua empresa. A Sophie, solução de IA desenvolvida pela Stefanini, engloba um conjunto de softwares e processos que melhoram o desempenho de sistemas que interagem com o consumidor, seja por voz ou por texto.

Além disso, ela conta com funcionalidades para usuários corporativos, que podem fazer transações, reportar incidentes e buscar informações com bastante agilidade. Ela também pode ser personalizada: o nome e a identidade visual são elaborados para gerar empatia no seu público-alvo.

Enfim, não há dúvidas que a Inteligência Artificial saiu do mundo das ideias da Antiguidade para ditar os ritmos de nosso futuro. Com os recursos que ela possibilita atualmente, sua empresa pode dar passos significativos rumo à transformação. Portanto, não deixe de considerar essas ferramentas para continuar crescendo e conquistar os consumidores.

Se você gostou do conteúdo e quer trazer a cultura de inovação para o seu negócio, aproveite para conhecer uma das melhores soluções de IA do mercado!

ebook

Passo a passo para adotar a inteligência artificial nas empresas

e-book
Baixe agora!

Vamos cocriar, solicite uma proposta dos nossos especialistas