Como implementar a gestão de risco e compliance na empresa

05 de Dezembro de 2019 por Stefanini

Gestão de risco e compliance são conceitos interconectados e que têm assumido grande importância no contexto gerencial das corporações. A introdução das respectivas definições na administração da empresa permite criar políticas mais eficazes a fim de garantir a integridade dos processos e o controle de riscos. 

Essas políticas, por sua vez, compõem um conjunto de práticas indispensáveis para o desenvolvimento da organização no mercado e para a própria segurança das etapas de transformação digital.

Tendo em vista a importância da gestão de risco e compliance para o sucesso de uma instituição, elencamos alguns esclarecimentos sobre o tema, além de dicas de como aplicar esses conceitos no negócio. Não deixe de conferir!

O que é gestão de risco e compliance?

Gestão de risco é a metodologia utilizada para que a empresa lide da melhor maneira possível com os eventos incertos que podem afetar a sua sustentabilidade.

Assim, pretende-se estimular o planejamento, a organização e o controle sobre os recursos humanos e financeiros, a fim de amenizar ao máximo o impacto de eventos inesperados.

Também por meio desse conjunto de estímulos, a gestão pretende identificar e aproveitar as oportunidades de mercado de maneira eficaz. Afinal, os riscos não representam apenas impactos negativos, mas também oportunidades de crescimento.

Compliance, por outro lado, é um conceito que vem do inglês e pode significar conformidade. O termo se refere a um conjunto de práticas e de políticas que buscam fazer com que a empresa cumpra todas as obrigações legais e adote boas medidas para uma atuação idônea.

Qual é a sua importância para o negócio?

A partir das definições já elencadas neste artigo, é possível concluir que o compliance é um dos pilares da gestão de risco. Afinal, assegurar a idoneidade dos processos da empresa é uma das maneiras de administrar eventuais problemas decorrentes do descumprimento de normas legais.

Quando os conceitos são trabalhados em conjunto na empresa, portanto, podem trazer inúmeros benefícios. Entre eles, a transparência nas relações da instituição, fator que contribui significativamente para a imagem do negócio no mercado e para a própria satisfação dos clientes.

Também com a aplicação da gestão de risco e compliance, a organização poderá diminuir impactos financeiros, uma vez que amenizará multas e processos judiciais por atuação ilegal.

Vale lembrar da importância dessa gestão de riscos para a criação de vantagem competitiva no mercado. Isso porque, com o aumento da confiabilidade e da credibilidade, a empresa se torna mais atrativa aos investidores e aos parceiros comerciais.

Como aplicar gestão de risco e compliance na empresa?

Tendo em mente a importância de implementar a gestão de risco e compliance na instituição, elencamos alguns passos para aplicá-la. Confira essas dicas!

Analisar os riscos 

O primeiro passo para a implementação da gestão de risco e compliance na empresa é avaliar qualquer empecilho relacionado à conduta da instituição no mercado.

Para tanto, será necessário levantar todas as falhas administrativas observadas nos setores, desde o RH com as questões trabalhistas até a área de tecnologia com problemas de vazamento de informações. Esse panorama será fundamental para a construção de um planejamento de atuação.

Montar um plano

A partir dos riscos analisados após o levantamento das inadequações da empresa, é indispensável montar um plano de ação.

Nesse documento, o gestor deve detalhar estratégias para implementar um programa de compliance e para gerir riscos de maneira eficiente. É importante que o planejamento elaborado também apresente etapas a serem desenvolvidas pela equipe nesse sentido.

Criar um código de conduta

É importante que, entre as estratégias adotadas pela empresa, esteja a criação de um código de conduta. O documento é fundamental para orientar e guiar as ações dos colaboradores de modo adequado à nova lógica de gestão.

Vale lembrar, no entanto, que o código deve ser claro, objetivo e coerente com a realidade do negócio. Além disso, o ideal é que traga comandos práticos, sem deixar de lado os valores e princípios que o norteiam.

Estabelecer canais de comunicação

Não basta a criação de um código de conduta ou de documentos que orientam as ações da equipe. É preciso que haja mecanismos que garantam o cumprimento dessas condutas estabelecidas no dia a dia da organização.

Por essa razão, é fundamental criar canais de comunicação para análise de situações e recebimento de denúncias de colaboradores, clientes ou fornecedores da empresa. Isso, sem dúvidas, permitirá ao administrador ter maior controle sobre questões prejudiciais ao negócio.

Capacitar os colaboradores

Independentemente da ação da empresa, é sempre importante capacitar os funcionários. Afinal, são eles os responsáveis pela continuidade do projeto instituído e pela sua implementação eficaz no negócio.

Portanto, promova cursos ou treinamentos que orientem o colaborador sobre suas responsabilidades diante do programa de compliance. Busque conscientizar a equipe sobre a importância da proposta para que todos se comprometam verdadeiramente.

Monitorar a eficácia do programa

Não basta implementar as medidas cabíveis para a gestão de risco e compliance, é preciso também monitorar constantemente a eficácia do programa instituído, seus impactos nos resultados da empresa e seus reflexos na segurança do negócio.

Somente dessa forma será possível perceber as falhas na elaboração das estratégias ou equívocos que comprometem o funcionamento das ações.

Corrigir erros do programa

A partir do monitoramento de falhas na implementação do programa de compliance e na gestão de risco, busque métodos eficazes para corrigir as estratégias e aprimorar as medidas na organização.

Vale lembrar que, nesse sentido, é importante estabelecer indicadores e métricas que ofereçam dados concretos sobre a validade prática das novas medidas adotadas em comparação às ações retiradas do plano.

Gestão de risco e compliance são conceitos cada vez mais valorizados no cenário empresarial. O motivo é simples: o conjunto de políticas de segurança e conformidade instituído por essas disciplinas garante maior estabilidade à organização no mercado.

Como consequência da implementação dessas práticas, é possível assegurar maior sustentabilidade ao negócio, condição que eleva a credibilidade e a confiabilidade da empresa diante de investidores e consumidores.

Compartilhe:
Veja mais sobre

Vamos cocriar, solicite uma proposta dos nossos especialistas

Veja outros serviços capazes de complementar esta solução

testetetetete

testete

tatetadata

teste

tstete

aaaaaaaaaaaaaaaaa

Veja outros serviços capazes de complementar esta solução

Experiência

Experiência

testetetetete

Cyber Security

Cyber Security

testete

Machine Intelligence

Machine Intelligence

tatetadata

Enterprise Hosting

Enterprise Hosting

teste

Consulting

Consulting

tstete

IT Strategy

IT Strategy

aaaaaaaaaaaaaaaaa

Veja também

case

Cocriando soluções para um futuro melhor

case

Sophie - Assistente Virtual Inteligente