Como aplicar o design thinking na sua empresa?

29 de Abril de 2019 por Stefanini

O design thinking é uma metodologia voltada à resolução de problemas, de uma maneira criativa e disruptiva. Ela já existe há 20 anos e ajuda a transformar as empresas com base nas diferentes visões dos colaboradores que participam do processo. O design thinking pode ser utilizado em negócios pequenos e grandes, sempre com o objetivo de melhorar a experiência do cliente.

Veja como você pode implementar o design thinking na sua empresa e obter os resultados que ele oferece. Acompanhe a leitura!

Entenda o design thinking

A seguir, veja três perguntas importantes para compreender o assunto.

O que é design thinking?

Design thinking significa “pensar como designer”. Essa abordagem existe há mais de 20 anos e tem como principal objetivo resolver problemas utilizando a colaboração de toda a equipe com as técnicas que os designers já utilizam.

metodologia de design thinking pode ser aplicada em qualquer atividade empresarial. Ela não é rígida, então você pode estudar sobre ela e aplicar apenas as partes que fazem sentido para a sua companhia.

A grande diferença da metodologia do design thinking para outras é que ela estimula e colaboração entre as equipes. Então, os problemas tendem a ser solucionados de maneira criativa, inovadora e até mesmo inesperada.

Como ele funciona?

O design thinking ocorre por etapas, conforme a equipe avança na estruturação dos problemas e as fases evoluem. 

Imersão

A imersão é a primeira etapa do processo. Nela, a equipe toma conhecimento do problema identificado de acordo com diferentes perspectivas. A imersão acontece de forma preliminar e em profundidade.

A imersão preliminar confere uma análise mais superficial da questão. Pode ser feita uma pesquisa teórica ou de campo sobre o assunto. O principal objetivo dessa etapa é definir o limite do projeto e coletar informações.

Na etapa de imersão em profundidade, um projeto de pesquisa é desenvolvido e logo após é realizada uma análise do contexto do problema. As pesquisas devem ser feitas em todos os meios que for possível, e elas não precisam ser apenas técnicas.

Análise e Síntese

Nessa fase, todas as informações coletadas durante a imersão serão analisadas e organizadas, a fim de encontrar um padrão que permita entender o problema. Algumas ferramentas podem ser utilizadas para ajudar o processo:

  • diagrama de afinidades;
  • critérios norteadores;
  • mapas de conceito.

Ideação

Nessa etapa, o conhecimento acumulado sobre o problema se junta às necessidades do público-alvo. Por isso é fundamental compreender os clientes e, se for possível, incluir também uma pesquisa de opinião, que pode gerar mais insights.

Uma ferramenta utilizada para fomentar ideias é o brainstorming entre os diferentes profissionais que atuarão na resolução dos problemas. Lembre-se de promover um ambiente criativo e livre de julgamentos, para que as pessoas se sintam confortáveis em dividir as suas opiniões.

Prototipagem

Nessa fase, as ideias viram um “produto” palpável. Todo o conteúdo acumulado nas etapas anteriores é transformado em ações concretas que podem se tornar oportunidades de negócios e fazer a diferença na empresa.

Teste

O teste valida as propostas apresentadas. É fundamental metrificar os resultados para identificar se ele está sendo positivo ou negativo. Nem todas as soluções serão aplicadas com êxito na companhia, por diversos motivos.

Qual é a importância desse conceito para o sucesso da empresa?

Engana-se quem pensa que o design thinking só tem aplicação em negócios ligados à tecnologia. Ele pode ser implementado em diversas companhias e setores variados — como financeiro, departamento de vendas e comercial, e outros.

O design thinking pode ser usado como um loop. Se o problema não for resolvido por completo, é válido entrar em uma nova imersão, e então seguir os processos novamente.

Aplicação do design thinking

O foco do design thinking é aprimorar o negócio de maneira colaborativa. Abaixo, explicamos como aplicar essa metodologia na sua empresa.

Tenha um bom planejamento

Um planejamento estratégico deve ser elaborado para que as ações da companhia tenham um norte. Assim, ela é capaz de definir se o trabalho realizado levará aos resultados esperados.

Uma abordagem interessante é usar OKRs — Objective and Keys Results (Objetivos e Resultados-chave). Ela ensina que, a partir do momento em que os objetivos (objective) são traçados, nós devemos criar métricas (key results) para medir o progresso em direção ao objetivo.

Por exemplo: em 2008, Sundar Pichai, do Google, gostaria que o Chrome fosse o melhor navegador (objective). E a forma de decidir isso — ou seja, a key result — seria o número de usuários.

A meta do primeiro ano foi 20 milhões de usuários, ele conseguiu menos de 10. No segundo ano, a meta subiu para 50 e ele conseguiu apenas 37. No terceiro ano a meta subiu para 100 milhões, e ela foi batida e ultrapassada, com 111 milhões de usuários.

Seja adaptável

O mercado está em constante evolução, por isso é preciso deixar algum espaço para as mudanças. Dentro da empresa, algumas regras devem permanecer, pois fazem parte da essência da companhia. Mas outras podem ser melhoradas a fim de agregar mais valor ao produto entregue ao cliente.

Por isso, não tenha medo de fazer alterações nos processos. É preciso estar aberto às mudanças para continuar atraindo e fidelizando novos clientes.

Aprenda com os erros

No processo de aprendizagem, nem todas as ideias serão úteis ao projeto. Outras serão implementadas mas não terão o resultado esperado. E está tudo bem. É importante estar aberto a novas experiências, sem julgamentos, para que a equipe se sinta livre para colaborar.

O planejamento ajuda a diminuir os riscos. Mas saiba que, mesmo seguindo o plano, imprevistos podem acontecer. Esteja pronto para encontrar novos caminhos quando for necessário.

Estimule a geração de ideias

Ao contrário do que muita gente pensa, a criatividade não é uma característica que algumas pessoas simplesmente têm e outras não. Ela pode e deve ser desenvolvida, como qualquer outra habilidade que se deseje ter.

Como o design thinking é uma ferramenta que estimula a produção de propostas, a geração de ideias é incentivada para que a equipe encontre a resolução de um problema por meio de sugestões criativas e inesperadas.

Invista em uma equipe diversificada

Para trazer inovação à sua empresa, valorize equipes diversas. A troca de experiências enriquece o trabalho e abre a mente das pessoas de acordo com o contato com novas percepções e ideias.

Portanto, se você deseja levar inovação para a sua empresa, adote o design thinking. É possível melhorar as atividades que parecem ser boas mas não estão dando o retorno desejado. A criatividade de todos os envolvidos no design thinking pode levar a soluções nunca antes imaginadas.

Se você gostou deste conteúdo, confira também como gerar mais resultados utilizando o design thinking!

Compartilhe:

Vamos cocriar, solicite uma proposta dos nossos especialistas