Cibersegurança para o setor financeiro: quais os impactos das falhas?

Com as mudanças provocadas pela transformação digital no mundo corporativo, a cibersegurança se tornou um tema em alta e grande parte dessa relevância se dá pelo impacto causado por falhas de segurança no setor financeiro. Situações como essa prejudicam o funcionamento das atividades e são capazes de colocar a empresa inteira em risco.

Apesar disso, as organizações podem utilizar esse fato como um meio de adquirir credibilidade no mercado ao oferecer seus produtos e serviços com qualidade e garantia de preservação dos dados de clientes.

Reunindo todos esses pontos, fica clara a importância de considerar as consequências de negligenciar a segurança da informação pode gerar para o negócio. Assim, falaremos a seguir sobre cibersegurança no setor financeiro abordando aspectos como o impacto das falhas para o setor financeiro, realidade no nosso país, soluções e outros tópicos. Quer conferir tudo isso? Então continue a leitura!

O que é cibersegurança?

A cibersegurança consiste em um conjunto de boas práticas com o objetivo de proteger sistemas, dispositivos e redes de computadores contra ataques virtuais — ataques cujos objetivos podem ser o roubo, sequestro ou vazamento de dados, obtenção de acesso não autorizado, interferência em processos do negócio ou, ainda, a destruição de informações confidenciais.

Cada uma das práticas que a segurança cibernética abrange visa proteger pontos específicos da infraestrutura do negócio e é esse leque de processos o que possibilita aplicar essa proteção a diversos cenários, indo desde servidores até o usuário final.

As boas práticas estão divididas nas seguintes categorias, hoje:

  • segurança de rede;
  • segurança de aplicações;
  • segurança da informação;
  • segurança operacional
  • recuperação de desastres;
  • instrução de usuários finais

Qual é a realidade no Brasil?

Com a chegada da pandemia e o aumento do trabalho remoto, diversas mudanças precisaram ser feitas na rotina e nos processos das empresas. Entre essas mudanças estão a adoção maior de infraestrutura em nuvem e adaptações na forma com acontece o compartilhamento de dados.

A cibersegurança, entretanto, não recebeu a devida atenção: de acordo com um estudo divulgado pela Microsoft, além do aumento no número de ataques virtuais às empresas, houve uma queda na preocupação com a segurança digital durante o período pandêmico.

Isso significa que os prejuízos relacionados a falhas de segurança cibernética poderiam ter sido evitados, mas além da exploração das brechas de segurança, os criminosos contaram com o fato de que tanto gestores quanto colaboradores estavam focados na adaptação das atividades presenciais para ambientes digitais.

Apesar da migração já ter ocorrido em diversas empresas e os colaboradores estarem adaptados a essa nova realidade, o orçamento dedicado por parte das empresas a meios de garantir a segurança digital ainda é baixo — o que implica na continuidade dos ataques virtuais e prejuízos para o setor financeiro.

Qual a importância da cibersegurança para o setor financeiro?

Nos últimos anos a dependência de tecnologias baseadas em cloud cresceu consideravelmente nos ambientes empresariais e o trabalho remoto trouxe uma demanda ainda maior por ambientes seguros.

Para o setor financeiro, o atendimento a essa demanda é fundamental, visto que os dados sensíveis trocados e armazenados em plataformas digitais podem causar grande prejuízo e até mesmo prejudicar a imagem da empresa de forma permanente se sofrerem vazamento ou roubo.
De acordo com dados do Ponemon Institute (IBM), o setor Financeiro teve o segundo maior custo de violação de dados em 2022 com uma média de U$S5.97 milhões.

A realidade é que a transformação digital trouxe a necessidade de maior dedicação à cibersegurança, mas diversas organizações ainda negligenciam essa questão e se tornam vítimas de ataques de negação de serviço (DDoS), ransomware, phishing e outros métodos. Usuários finais também são vítimas frequentes das campanhas de phishing e entregam dados privados a criminosos por falta de conhecimento.

Uma maneira assertiva de evitar problemas desse tipo é contar com um plano de segurança bem estruturado e capaz de responder aos incidentes de forma ágil. A boa notícia em relação a isso é que atualmente é muito mais fácil conseguir uma parceria especializada em cibersegurança e manter a empresa segura contra invasões em sua infraestrutura.

Qual o impacto das falhas de segurança para o setor financeiro das empresas?

Basta uma falha de segurança explorada para fazer com que os dados de uma empresa caiam nas mãos de criminosos por meio de ataques virtuais e com a adoção do modelo de trabalho remoto, os cuidados para evitar que isso aconteça devem ser ampliados.

Entre as possíveis consequências estão o sequestro de dados (normalmente por ransomware), fraudes financeiras, vazamento de dados privados, extorsões e, ainda, multas decorrentes da quebra da Lei Geral de Proteção de Dados. Todos esses incidentes geram prejuízo direto ao caixa da empresa e podem levar o negócio à falência.

Além disso, há outras preocupações pós ataque virtual que merecem a atenção dos gestores: a perda de confiança do público nos produtos e serviços da empresa é outro aspecto que pode levar a empresa à falência, visto que o negócio depende da confiança dos seus clientes para se manter em pé — e a probabilidade de um consumidor confiar seus dados a uma empresa que não atende aos requisitos de segurança tende a ser mais baixa.

Há, ainda, a chance de prejuízos contratuais que podem variar desde a desistência de clientes até a aplicação de multas por quebra de sigilo e acordos de confidencialidade em contratos. Portanto, é fundamental que a organização invista na segurança e seja capaz de evitar problemas desse tipo.

Como evitar essas falhas?

Lidar com o mundo digital de forma segura requer conhecimento para identificar armadilhas e, para isso, é fundamental contar com a ajuda de profissionais capazes de orientar e implementar soluções que atendam às necessidades do negócio.

Por meio de uma consultoria especializada, a preocupação em relação ao que fazer em caso de ataque é muito menor, pois uma parceria que implemente as práticas adequadas trabalha com métodos de prevenção e estratégias que garantem a autenticidade dos colaboradores, a disponibilidade dos serviços, a privacidade e a integridade dos dados.

Além disso, é fundamental que as novas ferramentas de segurança sejam utilizadas de forma correta pelos colaboradores, portanto, investir em treinamento é mais um passo importante na missão de evitar falhas de segurança — visto que a engenharia social é uma das principais técnicas empregadas pelos criminosos.

Como as soluções da Stefanini contribuem?

A melhor maneira de garantir a proteção de uma empresa contra ameaças do ambiente digital é por meio da parceria com especialistas que compreendam onde estão os pontos de vulnerabilidade da infraestrutura do negócio.

Com a Stefanini — que atua desde 1987 e está presente em mais de 40 países — nossos clientes contam com a melhor oferta de segurança digital do mercado. Nossas soluções incluem serviços de defesa cibernética, governança, risco, compliance, consultoria de segurança e outras implementações tecnológicas.
O Grupo Stefanini tem a visão de que a segurança cibernética é uma jornada contínua. Dentro da nossa estrutura, possuímos uma torre de segurança cibernética, com soluções orientadas ao desenvolvimento de resiliência cibernética, detecção e resposta proativa, desenvolvimento seguro, gerenciamento de riscos, governança e compliance.

Oferecemos soluções sob medida, permitindo que as empresas se beneficiem da tecnologia israelense de ponta ou façam parcerias com outros players de segurança cibernética bem-posicionados no mercado. Nosso portfólio de parcerias estratégicas nos dá uma base tecnológica robusta para apoiar nossos clientes. Combinamos nossa capacidade histórica de entrega com soluções de segurança israelenses inovadoras para fornecer ao mercado uma oferta robusta baseada em pessoas, processos e tecnologia.

A cibersegurança é a solução certa para garantir que o setor financeiro permaneça seguro, mas depende de uma estratégia de segurança que inclua todos os pontos de vulnerabilidade da empresa. Dentro ou fora do ambiente empresarial, é importante manter os dispositivos protegidos e fazer uso das boas práticas de navegação em ambientes digitais.

Quer entender com mais detalhes como a Stefanini pode implementar cibersegurança no setor financeiro do seu negócio? Então venha conhecer as nossas soluções!

Junte-se a nós

Receba Em Seu E-mail Conteúdos Exclusivos

Inscreva-se em nossa newsletter e receba novidades sobre o Grupo Stefanini.